Carol

Todd Haynes a partir de Patricia Highsmith. Vale a pena, diz João Lopes

O novo filme de Todd Haynes tem como ponto de partida o primeiro romance de Patricia Highsmith, The Price of Salt, publicado em 1952 com o pseudónimo Claire Morgan. A razão do "anonimato" da autora decorria da conjuntura de interditos que rodeava o tema: uma história de amor entre duas mulheres numa época em que a possibilidade de uma tal relação era punida por lei.

Haynes constrói o seu filme a partir das singularidades de tal contexto, nunca cedendo a qualquer facilidade "simbólica" ou "panfletária". Assim, a mútua descoberta de Carol e Therese (Cate Blanchett e Rooney Mara, respetivamente, ambas admiráveis) surge-nos no cruzamento de dois factores fundamentais: a diferença de estatuto social que separa as duas personagens centrais e a intensidade do desejo que, violentamente, as aproxima. Nesta perspetiva, o impulso amoroso enreda-se com a tragédia da sua perceção social, de acordo com uma lógica (melo)dramática que volta a mostrar a íntima ligação de Haynes com a obra de Douglas Sirk, o autor de Escrito no Vento (1956).

Classificação. *****

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG