Bloop Recordings festeja uma década

Depois de ter percorrido o país, a festa dos dez anos da editora de música eletrónica lisboeta chega este sábado à capital, para uma décima e última celebração, que se prolongará por 15 horas em três locais diferentes

À hora a que estas linhas são escritas, ainda não são conhecidos os locais onde irá ser realizada a última festa de aniversário da Bloop Recordings. Como é tradição nos eventos organizados por esta editora lisboeta, os mesmos só serão divulgados no próprio dia, via redes sociais, como tem acontecido nos últimos meses, nas várias festas realizadas pelo país, para celebrar dez anos de existência de um dos selos que mais ajudou popularizar a música eletrónica em Portugal. "Começámos por ser uma editora de discos, mas depressa percebemos que seria algo difícil de rentabilizar e pouco tempo depois começámos logo a organizar eventos, porque também era uma boa maneira de promover os nossos artistas", recorda Luís Costa, um dos fundadores da Bloop e hoje mais conhecido pelo seu nome de palco, Magazino. "Parece que foi ontem, mas já passou muito tempo", reconhece o DJ, lembrando esses primeiros anos, quando as festas da Bloop atraiam pouco mais de cinquenta pessoas em Lisboa. Hoje, é rara a ocasião em que não juntam mais de mil e já se espalharam um pouco por todo o país, como aconteceu nas nove anteriores festas deste programa especial de aniversário, com a estreia em cidades como Covilhã, Vila Real e Leiria. "Houve uma grande mudança de mentalidades. Quando começámos, a música eletrónica vivia numa espécie de gueto, sob a ditadura do rock e atualmente passa-se o contrário. Basta olhar para os cartazes dos grandes festivais para o perceber", sustenta.


A festa de Lisboa, que encerra oficialmente a celebração do décimo aniversário, será composta por três atos, distribuídos por outros tantos locais. O primeiro terá lugar na zona de Alcântara, entre as 15h e as 19h e contará com as atuações de Garrine, de Señor Pelota e Mr. Blue e ainda de Xinobi, em representação da Discotexas, outra editora de música de dança lisboeta que este ano também cumpre uma década. "A maior parte dos nossos eventos realizam-se sempre à tarde", explica Magazino, que, a par do holandês San Poper, será um dos cabeças-de-cartaz do segundo ato, a realizar ali por perto das 19h às 24h. A animação continua depois na zona do cais do Sodré, com uma after-party até às seis da madrugada, na qual, para além de um coletivo composto pelos all star da Bollp, estará também presente ARK, apresentado por Magazino como "um dos pioneiros da nova cena do house francês" e que se prepara para lançar em breve um novo disco pela Bloop. "Em 10 anos já editámos 21 discos, todos em vinil. A edição continua a ser o nosso coração, mas os eventos são o pulmão que nos permite respirar", sublinha o produtor. É assim com a fasquia bem elevada que a Bloop se prepara para enfrentar o futuro. "Os nossos eventos esgotam mesmo antes de se saber o local ou os artistas presentes, o que é bem revelador da confiança que as pessoas têm em nós. Esse é o nosso maior desafio, continuar assim, a gostar muito daquilo que fazemos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG