Ator desiste de papel de asiático em "Hellboy" após críticas de "branqueamento"

O britânico Ed Skrein foi escolhido para desempenhar o papel do major Ben Daimio, uma personagem de origem asiática na BD, gerando críticas de "branqueamento" em Hollywood

O ator Ed Skrein anunciou no Twitter que desistiu de participar no reboot do filme Hellboy, depois de acusações de "branqueamento" da sua personagem. O britânico tinha sido escolhido para desempenhar o papel do major Ben Daimio, uma personagem de origem japonesa e americana na BD de Mike Mignola.

O "branqueamento" (whitewashing em inglês) é a prática de escolher atores brancos para desempenhar papéis de personagens de diferentes raças, incluindo afro-americanos, asiáticos, hispânicos ou indígenas.

"Aceitei o papel sem saber que a personagem era de origem asiática nos livros de BD originais. Tem havido um intenso debate e compreensível descontentamento desde o anúncio [de que seria o escolhido] e tenho que fazer o que sinto ser correto", escreveu o ator de 34 anos, conhecido pelos papéis em Deadpool, Transporter: Potência Máxima ou A Guerra dos Tronos.

"A representação da diversidade étnica é importante, especialmente para mim, que venho de uma família de herança mista. Temos a responsabilidade de tomar decisões morais em tempos difíceis e para dar voz à inclusividade", acrescentou Skrein, de descendência austríaca e inglesa, dizendo-se "triste" por desistir do papel, mas esperançoso de fazer a diferença.

O reboot (reinício) da saga Hellboy está, segundo o site especializado IMDB, em fase de pré-produção, com estreia prevista para 2018. Realizado por Neil Marshall, terá David Harbour no papel de Hellboy (nos filmes de 2004 e 2008 foi representado por Ron Perlman) e Mila Jovovich como a principal adversária, Nimue the Blood Queen (rainha de sangue).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG