Publicar online para ler no tablet: será este o futuro da BD?

O festival Amadora BD regressa amanhã com Batman, Mafalda e o que de melhor se faz na banda desenhada em Portugal.

A primeira vez que o Batman apareceu foi na revista norte-americana Detective Comics, em maio de 1939. Há 75 anos. E o festival Amadora BD não poderia deixar passar em branco esta data. "O Batman é uma das personagens mais complexas entre os super-heróis, ele, aliás, tem menos de super-herói do que de humano, tem poucos super-poderes mas tem muitos defeitos e fragilidades", explica Nelson Dona, o diretor do Amadora BD.

No festival, que arranca amanhã e vai ocupar grande parte do Fórum Luís de Camões, na Brandoa (Amadora) até 9 de novembro, haverá uma exposição dedicada ao "homem-morcego" que procura retratar essa complexidade da personagem, com desenhos e outras peças vindas de coleções particulares e museus americanos. Joe Stanton, um dos desenhadores de Batman, é uma das presenças confirmadas.

Leia mais no e-paper do DN

Exclusivos

Premium

Catarina Carvalho

O bom trabalho do José Mário Branco 

Foram três serões de espanto. Assisti à gravação do disco Sempre, de Katia Guerreiro, que foi produzido por José Mário Branco com a consultadoria da mulher, Manuela de Freitas. Foi há cerca de um ano. Assisti a tudo e o objetivo era descrevê-lo numa reportagem que havia de fazer capa de uma das novas edições do Diário de Notícias, nessa altura em preparação, em maio de 2018. Mas, na verdade, aquilo que tive foi uma experiência de vida, daquelas que constituem marcos de existência.

Premium

Marisa Matias

Baralhar e dar de novo

Na próxima semana irá finalmente a votos a Comissão Von der Leyen. Depois de propostas de nomes rejeitadas, depois de várias controvérsias associadas aos novos portfólios apresentados pela presidente eleita, finalizou-se o processo sem, contudo, eliminar a ameaça de conflitos de interesses ou mudar significativamente os portfólios. Nas contas finais, parece que tudo não passou de um jogo de equilíbrios partidários, muito longe dos interesses dos cidadãos.