Florentijn Hofman, o artista holandês que pensa XXL

Encontrou um lugar na arte com as suas esculturas gigantes de traços infantis. Patos de borracha gigantes, lebres e, o último, um hipopótamo que passeia no rio Tamisa

Tem 21 metros de comprimento e vai nadar semi-imerso nas águas do Tamisa, em Londres, até 28 de setembro. HippoThames, assim se chama, é de madeira e pretende lembrar um tempo - pré-histórico - em que o rio foi habitado por hipopótamos. É também a mais recente criação do artista holandês Florentijn Hofman para o festival Tottally Thames, a decorrer na capital britânica.

Obras de dimensões guliverianas, pensadas para espaços públicos, a partir de pequenos objetos do quotidiano são as marcas registadas do trabalho de Florentijn Hofman, que o hipopótamo não contraria. Chamam-lhe amiúde artista XXL e até já foi confundido com a portuguesa Joana Vasconcelos. Tratava-se de "Macaco Gordo", uma escultura feita com chinelos de borracha que foi mostrada em São Paulo, Brasil.

Começou a mostrar o seu trabalho em 2000, em Berlim, onde fez estudos de arte. Ainda estudante universitário, já mostrava o trabalho na rua. "Se fazes na rua, tens de fazer maior para as pessoas verem", justifica. E acrescenta: "É preciso não ter medo." Diz que quer que as pessoas se riam e apreciem as suas obras.

Leia mais na edição impressa e no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG