Niemeyer foi enterrado hoje no Rio de Janeiro

O arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, que morreu na quarta-feira à noite, aos 104 anos, foi enterrado no final da tarde de hoje, após a realização de um culto ecuménico.

O enterro foi realizado ao som das músicas "Cidade Maravilhosa", considerada o hino do Rio de Janeiro, e "Carinhoso", de Pixinguinha, um dos maiores compositores da música brasileira.

A execução das canções ficou a cargo dos músicos do grupo carnavalesco "Banda de Ipanema", do qual o arquiteto era patrono desde o carnaval de 2010.

Naquele ano, a "Banda de Ipaenama" adotou como "enredo" para o desfile de carnaval um samba composto por Niemeyer, em parceria com seu enfermeiro, durante um dos seus internamentos.

O enterro realizou-se às 17:50 locais (19:50 em Lisboa) após ter sido velado no Palácio da Cidade ao longo do dia.

Na quinta-feira, o arquiteto foi velado também em Brasília, em cerimónia no salão nobre do Palácio do Planalto, edifício-sede do Governo brasileiro, projetado pelo próprio Niemeyer.

Considerado um dos maiores arquitetos do mundo, Niemeyer era também destacado com um homem generoso e altruísta, que lutou pelos ideais de igualdade e justiça social.

O arquiteto faleceu a 10 dias de completar 105 anos, mantendo a lucidez até ao fim.

Niemeyer teve uma única filha, Anna Niemeyer, que faleceu também este ano, aos 82 anos de idade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG