Pedro Campos Costa e Trienal de Lisboa em Veneza

O arquiteto Pedro Campos Costa e a Trienal de Lisboa vão desenvolver o projeto de representação de Portugal na 14.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, em 2014, anunciou hoje a organização, em Lisboa.

O projeto intitula-se "Homeland | Less Housing more Home" e será centrado no tema da habitação "como elemento essencial e primário da construção urbana e territorial, reflexo social e cultural de quem a habita".

O conceito foi apresentado hoje durante uma conferência de imprensa realizada na Biblioteca Nacional, onde a Direção Geral das Artes tem também a sua sede, em Lisboa, pelo diretor-geral, Samuel Rego, o comissário Pedro Campos Costa e o presidente da Trienal de Arquitetura de Lisboa, José Mateus.

Também estiveram presentes a comissária da representação de Portugal de 2012, arquiteta Inês Lobo, e a artista Joana Vasconcelos, que representou o país este ano na Exposição Internacional de Arte de Veneza com o cacilheiro "Trafaria Praia" transformado em obra artística.

Segundo a artista, convidada a estar presente para "passar o testemunho" à próxima edição da Bienal, o cacilheiro deverá regressar nas próximas semanas a Lisboa, onde ficará algum tempo para passeios no Tejo, tendo já um conjunto de convites para presenças internacionais em eventos artísticos.

Na conferência de imprensa, o diretor-geral das Artes, Samuel Rego, apresentou Pedro Campos Costa como o comissário/curador do próximo projeto da representação nacional na área da arquitetura, descrevendo-o como "uma pessoa com grande capacidade de mobilização de artistas de várias áreas".

Nascido em 1972, em Lisboa, Pedro Campos Costa é licenciado em Arquitetura pela Faculdade da Universidade do Porto, frequentou o programa de doutoramento "Cultura Arquitetónica e Urbana" da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, e leciona no departamento de arquitetura da Universidade Autónoma de Lisboa.

Entre outros galardões, recebeu em 2012 o Prémio 40 Under 40 Europe"s Emerging Young Architects and Designers.

Pedro Campos Costa indicou que o projeto terá duas dimensões: uma de inventariação de habitação do país, através de um inquérito, e outra de reflexão crítica realizada por seis arquitetos que irá convidar.

A 14.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza vai ter como curador geral o arquiteto holandês Rem Koolhaas, o autor do projeto da Casa da Música, no Porto, que definiu como tema base desta edição o conceito "Fundamentals".

A mostra de arquitetura vai decorrer entre 07 de junho a 23 de novembro de 2014, nos espaços Giardini e Arsenale, em Veneza.

O diretor-geral das Artes indicou que o valor do orçamento desta representação "é de 100 mil euros, um terço da representação de 2012 [300 mil euros]", comentando que será "uma situação inédita no século XXI", mas disse ter a expectativa do projeto receber apoios mecenáticos e patrocínios como aconteceu com Joana Vasconcelos.

Na edição anterior, Portugal esteve representado pelo projeto "Lisbon Ground", instalado no Palácio Fondaco Marcello, e foi visto por cerca de 5.000 pessoas durante os seis meses da mostra.

"Lisbon Ground" teve a participação, entre outros, dos arquitetos Álvaro Siza Vieira, Eduardo Souto Moura, Francisco Aires Mateus, Gonçalo Byrne, João Luís Carrilho da Graça, Manuel Aires Mateus e Ricardo Bak Gordon.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".