António Variações homenageado em dia de aniversário

Concerto e exposição de fotografia recordam músico na data em que faria 71 anos

O músico português António Variações será recordado em dezembro, quando faria 71 anos, com um concerto, uma exposição de fotografia e uma palestra, a acontecerem em Braga e Amares, foi hoje anunciado.

"Em torno do aniversário do seu nascimento -- a 3 de dezembro de 1944 no lugar de Fiscal, Amares -- pensou-se num conjunto de atividades que procuram ilustrar não apenas o valor decisivo da sua obra como a sua continuada influência nos destinos musicais e artísticos das novas gerações", afirma a organização.

A 03 de dezembro, em Amares, a Galeria de Artes e Ofícios inaugurará uma exposição de Teresa Couto Pinto, com cerca de 30 fotografias, algumas das quais inéditas, que retratam António Variações.

No mesmo dia, a investigadora, escritora e candidata à Presidência da República Manuela Gonzaga, autora de uma biografia sobre o músico, fará uma comunicação intitulada "António Variações e o poder do sonho".

Veja aqui o clip Estou Além:

A 04 de dezembro, a homenagem transita para Braga, onde, no Theatro Circo, acontecerá um concerto com o coletivo BragaNY, criado de propósito para este tributo, interpretando repertório do músico.

Em palco estarão Tiago Cavaco, Selma Uamusse, Rui Pregal da Cunha e Samuel Úria, o líder deste espectáculo, que "imagina Variações como habitante de uma cidade ou espaço imaginário, existente algures entre Braga e Nova Iorque".

Arrojado e irreverente, influenciado pelo fado, pela música popular e pelo pop rock, António Variações deu-se a conhecer com uma versão de "Povo que lavas no rio", de Amália Rodrigues, uma das suas influências.

Barbeiro de profissão - tinha em Lisboa a barbearia "É pró menino e prá menina" -, escreveu canções como "Anjo da guarda", "Canção do engate", "O corpo é que paga" e "Estou além", mas deixou apenas dois álbuns editados - "Anjo da guarda" (1983) e "Dar e receber" (1984).

António Variações morreu aos 39 anos, a 13 de junho de 1984.

Duas décadas depois, em 2004, várias gravações inéditas seriam recuperadas pelo jornalista Nuno Galopim e regravadas pelo projeto Humanos, do qual fizeram parte Camané, David Fonseca, Nuno Rafael, Manuela Azevedo e Helder Gonçalves.

No ano passado, o músico foi homenageado em maio, num espectáculo no festival Rock in Rio Lisboa com atuações dos Deolinda, Linda Martini, Gisela João e Rui Pregal da Cunha, e em dezembro, pela Filarmónica Idanhense.

Para junho de 2016 está marcada a estreia da peça de teatro "Variações de António", no Teatro Estúdio Mário Viegas, em Lisboa, com dramaturgia e encenação de Vicente Alves do Ó.

A peça será um monólogo interpretado pelo ator Sérgio Praia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG