Angoulême altera regras do Grande Prémio após acusações de sexismo

O festival francês reagiu à polémica de não ter incluído mulheres na lista de finalistas.

Em comunicado divulgado hoje, a organização do festival de banda desenhada de Angoulême (França) anunciou que a escolha do Grande Prémio - um prémio de carreira para um autor ou autora de banda desenhada - será feita sem listas prévias de finalistas e que os autores serão convidados a votarem livremente em quem quiserem.

Com a 43ª edição do festival marcada para o final do mês, falta ainda anunciar em que moldes é que a votação decorrerá.

A decisão do festival é tomada horas depois de a organização anunciado que iria incluir algumas mulheres na lista de finalistas do Grande Prémio, que foi alvo da polémica.

A radio Europe 1 dava como certa a inclusão de seis autoras, entre as quais a norte-americana Linda Barry e a franco-iraniana Marjane Satrapi, mas a organização acabou por tomar outra decisão.

A polémica estalou esta semana, quando um coletivo feminino de banda desenhada acusou a organização de Angoulême de sexismo por não ter incluído qualquer mulher entre os finalistas ao Grande Prémio e apelou a um boicote à votação.

A lista, divulgada na terça-feira apresenta trinta nomes, entre os quais François Bourgeon, Stan Lee, Milo Manara, Lorenzo Mattotti, Frank Miller, Cosey, Alan Moore, Quino, Chris Ware e Jirô Taniguchi.

Alguns dos autores nomeados apoiaram as críticas e o apelo de boicote, como Daniel Clowes, Joann Sfar, Charles Burns e Riad Sattouf, e pediram para serem retirados da lista de finalistas.

Na quarta-feira, Frank Bondoux, da organização, sublinhava que "o Festival de Angoulême ama as mulheres, mas não pode reescrever a história da banda desenhada", que é dominada sobretudo pelo sexo masculino.

A ministra da Cultura de França, Fleur Pellerin, considerou "bastante anormal" que nenhuma mulher figurasse entre os finalistas.

Em mais de quarenta anos, o festival de Angoulême atribuiu apenas uma vez o Grande Prémio a uma mulher, quando Florence Cestac venceu em 2000.

De acordo com dados da Associação de Críticos e Jornalistas de Banda Desenhada de França, as mulheres representam 12,4 por cento dos profissionais de BD no mundo francófono.

O festival de Angoulême, considerado um dos mais importantes dedicados à banda desenhada, decorrerá de 28 a 31 de janeiro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG