Amigos dos museus "fazem trabalho importante e invisível"

"A cumplicidade entre os grupos de amigos e os museus" é o tema do encontro de grupos de amigos de museus, a 8 de outubro, na Fábrica da Pólvora de Barcarena, em Oeiras

A presidente da Federação de Amigos dos Museus de Portugal (FAMP), Isabel Silveira Godinho, considera que estes voluntários do património cultural "fazem um trabalho invisível muito importante, que devia ser mais divulgado" no país.

Contactada pela agência Lusa sobre o encontro anual da FAMP, que se realiza este ano a 8 de outubro, na Fábrica da Pólvora de Barcarena, no concelho de Oeiras, a responsável indicou que será um "momento para debate e troca de experiências".

"Os amigos dos museus são ativos no quotidiano destas instituições, propõem e participam em atividades, angariam fundos para a aquisição de peças para o acervo, restauro ou obras", enumerou, dando como exemplo a campanha pública realizada este ano no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

A campanha nacional inédita para a aquisição do quadro de Domingos Sequeira, A Adoração dos Magos, conseguiu um total de 745 mil euros para a aquisição dessa obra, e, com o restante, de um retrato de D. João V que se encontrava no Brasil, e foi localizado através de uma investigação.

"Foi uma grande campanha, para a qual muito contribuiu o dinamismo e apoio do Grupo de Amigos do Museu de Arte Antiga. Mas noutros museus esse trabalho difícil e complexo de angariação é feito de forma regular pelos seus grupos de amigos", sublinhou, nas declarações à Lusa.

Para partilhar a experiência dessa campanha de angariação de fundos irá estar presente no encontro da FAMP o presidente do Grupo dos Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga, José Blanco, antigo administrador da Fundação Calouste Gulbenkian.

O tema escolhido por Isabel Silveira Godinho para o encontro deste ano é "A cumplicidade entre os grupos de amigos e os museus", referindo-se ao relacionamento entre estes voluntários e as direções dos museus.

"As pessoas devem comunicar mais entre si para fortalecer e dinamizar esta relação, e o trabalho dos amigos dos museus deveria ser mais acarinhado e divulgado", defendeu a presidente da FAMP, fundada em 1998, e que conta com cerca de 30 associados.

Isabel Silveira Godinho defendeu ainda que o público dos museus "também deve comunicar as suas opiniões, dizendo o que consideram que está bem, e o que não está e poderia melhorar".

Também vão estar presentes no encontro como oradores - entre as 9.30 e as 16.00 - o presidente do Grupo de Amigos do Museu Nacional Soares dos Reis, Álvaro Sequeira Pinto, o presidente do Grupo de Amigos do Museu da Pólvora Negra, Fernando Valério, e a coordenadora do Núcleo do Património Histórico e Museológico da Câmara Municipal de Oeiras.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG