Alice Vieira e José Eduardo Agualusa premiados no Brasil

Os escritores venceram na mesma categoria do Prémio da Fundação do Livro Infantil e Juvenil - O Melhor para Criança: Literatura em Língua Portuguesa

Alice Vieira informou os seus amigos e todos aqueles que seguem a sua página de Facebook, que, "Apesar deste inverno, apesar desta neura, apesar desta vértebra dorida, apesar deste colete que me aperta - chega esta boa notícia:" a escritora foi a vencedora do Prémio Fundação do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) - O melhor para a criança, na categoria de Literatura em Língua Portuguesa.

Meia Hora Para Mudar a Minha Vida (2010), editado no Brasil pela Peirópolis e em Portugal pela LEYA, venceu uma das 18 categorias - entre Poesia, Revelação Escritor, Revelação Ilustrador, Livro Brinquedo ou Reconto - do prémio brasileiro criado em 1975 para galardoar os melhores títulos da literatura infanto-juvenil.

O mesmo prémio, também na categoria de Literatura em Língua Portuguesa, foi atribuído ao escritor angolano José Eduardo Agualusa pela obra A vida no céu: romance para jovens e outros sonhadores, editado no Brasil pela Melhoramentos.

Entre os vencedores da edição deste ano estão ainda Lá e aqui, da brasileira Carolina Moreyra, vencedora na categoria Criança, e Iluminuras: uma incrível viagem ao passado, da brasileira Rosana Rios, na categoria Jovem. Na categoria de Imagem, o prémio foi atribuído ao norte-americano Aaron Becker por Jornada.

Em edições anteriores, o Prémio FNLIJ - O Melhor para a Criança distinguiu edições de livros portugueses como o de José Jorge Letria, em 2001, Avô, conta outra vez, ilustrado pelo seu filho André Letria, a obra de Sophia de Mello Breyner, em 2014, numa edição brasileira de A menina do mar, ou, da própria Alice Vieira, que já fora galardoada na mesma categoria em 2007, Contos e lendas de Macau.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG