A vida de Sá Carneiro destrói a lenda do animal político

Descubra na edição de hoje do "Quociente de Inteligência", com o seu DN, a análise da acção política de Sá Carneiro nos tempos da Ala Liberal, no 25 de Abril de 1974, no período revolucionário e nas relações com Mário Soares e Ramalho Eanes.

Um País diante da televisão à espera de ver mais um episódio da telenovela Dona Xepa era surpreendido pela notícia lida pelo jornalista Raul Durão, que, de gravata negra, anunciava a morte do primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro e do ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa.

Três dias depois, se não tivesse desaparecido, o líder do PSD conheceria o seu primeiro revés eleitoral desde que se criara, 17 meses antes, a Aliança Democrática, com a qual PSD, CDS e PPM alcançaram a primeira maioria parlamentar absoluta da III República - garantindo também a alternância entre a esquerda e a direita no poder.

Leia mais no e-paper do DN.

Para conhecer outros conteúdos a ler neste número do "Quociente de Inteligência" (exclusivo em edições impressa e em e-paper), veja o vídeo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG