À segunda edição, o Festival de Marvão projeta-se para o mundo

De 24 de julho a 2 de agosto, são mais de 40 os eventos em cartaz no Festival Internacional de Música da vila alentejana. Apresentação em Lisboa decorreu ontem, no Instituto Alemão.

"Um passo decididamente grande", chamou Christoph Poppen, fundador e diretor artístico, à segunda edição do Festival de Marvão, ontem apresentada nos jardins do Instituto Alemão. "No ano passado, foi muito relaxado, pois não havia nada a perder, mas este ano demos um grande salto!"

E esse "salto" consubstancia-se em dez dias de duração (contra três em 2014), mais de 40 eventos no total e, pelas contas de Christoph, "cinco orquestras, dois coros, três quartetos de cordas e 23 solistas de todo o mundo e mais de 40 compositores interpretados", salientando o foco especial dado ao nosso José Vianna da Motta, "fio condutor da programação". E isto é só a componente musical de um Festival que abre na sexta-feira com um concerto da Orquestra Gulbenkian no pátio do castelo, tendo por solista a violinista Clara Jumi Kang, recente 5.º Prémio no Concurso Tchaikovsky de Moscovo.

Leia mais na edição impressa no no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG