A quinta, a história de amor e o burro que não deu um filme

Como Carlitos conquistou Teresinha com uma boneca em Aniki Bóbó, também Manoel de Oliveira comprou todas as propriedades em redor das da família de Maria Isabel, para conquistar a sua amada (e o seu sogro). A Quinta da Covela e seus habitantes também guardam histórias do cineasta.

Manoel apaixonou--se por Maria Isabel, moça que conheceu numa festa para a aristocracia no Porto. A amada vivia em São Tomé de Covela, concelho de Baião. Corria o ano de 1940 quando Manoel de Oliveira decidiu "assentar" e foi pedir a mão de Maria Isabel Carvalhais, tinha ela 20 anos. Como se impunha na época, Oliveira teve de enfrentar o pai da noiva, o austero Carvalhais que na altura não concordou com a ideia de um pretendente mais velho dez anos do que a filha e, sobretudo, sem terras. "Tenho dinheiro" terá argumentado Oliveira - filho de industriais abastados da indústria têxtil. "Mas o dinheiro não se vê", retorquiu o pai da jovem. Manoel não esmoreceu: comprou todas as quintas que circundavam a propriedade dos Carvalhais - a Quinta da Covela - e aumentou a sua extensão cinco vezes, mantendo o nome.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG