Santa Maria recebe estação de rastreio de satélites

Vai acompanhar o trajecto do foguetão 'Ariane 5'

A ilha açoriana de Santa Maria foi o lugar do escolhido pela Agência Espacial Europeia (ESA) para a colocação da sua nova estação de rastreio de satélites, a primeira com capacidade para seguir os lançadores durante todas as fases de voo.

A estrutura, que será inaugurada amanhã no cimo do Monte das Flores, a 200 metros de altitude, integra a rede internacional ESTRACK e estará preparada para acompanhar o trajecto do foguetão Ariane 5, que será lançado a partir do porto espacial da Guiana Francesa. Esta será mesmo a sua missão de estreia: acompanhar o percurso do primeiro ATV (automated transfer vehicle) - com o lendário nome de Jules Verne -, que será lançado em breve a bordo daquele foguetão, com vista ao reabastecimento da Estação Espacial Internacional.

A estação é inovadora em matéria de tecnologia espacial, sendo constituída por uma antena com reflector parabólico de 5,5 metros de diâmetro, mais equipamento de telecomunicações, sistema de fornecimento de energia eléctrica de emergência, protecção anti-raios e infra-estruturas de suporte. No topo do Montes das Flores pode observar-se, assim, um complexo de tecnologia que contrasta com a ruralidade e pacatez de Santa Maria, uma ilha com cerca de cinco mil habitantes, a única dos Açores vulcanicamente "morta", e que tem na agro-pecuária e no controlo de tráfego aéreo do Atlântico Norte a sua base económica tradicional.

O isolamento da ilha (situada no extremo Sudeste do arquipélago dos Açores, a 1500 quilómetros de Lisboa) e a escassez populacional pode ter levantado dúvidas à ESA em termos da capacidade logística instalada. Mas o facto de a região de rastreio cobrir uma grande porção do oceano Atlântico pesou muito mais do que qualquer outra coisa. A isso junta-se o potencial da sua localização, na rota de lançadores que passam sobre a estação à vertiginosa velocidade de 28 mil quilómetros por hora. Mas em Santa Maria será também possível, a partir de agora, fazer o rastreio de trajectórias de lançamentos Ariane de meia inclinação, o rastreio de lançadores Vega e Soyuz (a serem lançados em breve, em Kourou, na Guiana) e mesmo missões de observação da Terra que já decorrem, incluindo os satélites ERS-2 e ENVISAT , da ESA, e o satélite Radarsat, do Canadá.

Gerhard Billig, o service manager da Estação de Santa Maria que intervém no directorado de Operações da ESA, resume numa nota oficial desta agência espacial o potencial da unidade a inaugurar amanhã na ilha descoberta por Gonçalo Velho: "Adicionar a estação de Santa Maria à nossa rede fornece uma capacidade crítica para fazer o rastreio de lançamentos do ATV com o lançador Ariane, assim como de outros lançamentos a partir de Kourou, e abre também novas possibilidades para serviços baseados na recepção de dados de observação da Terra".

A estação foi instalada em Santa Maria ao abrigo de um acordo tripartido entre a ESA e os governos da República e Regional dos Açores e é operada localmente, mediante contrato, através de um consórcio que inclui as empresas Edisoft, Segma e GlobalEDA.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG