TAP investe em novos aviões 2,5 mil milhões de euros

Fernando Pinto, presidente da TAP, assinou ontem com a Airbus uma encomenda total de 3,7 mil milhões de dólares (2,5 mil milhões de euros), para a aquisição de 12 aviões modelo A350 XWB, com opção para mais três unidades, e uma carta de intenções para oito aparelhos da família A320. A esta encomenda juntam-se mais cinco aviões A330-200. O primeiro aparelho foi ontem entregue em Toulouse (França), a sede do construtor aeronáutico europeu.

Nos termos do acordo, a TAP vai receber os primeiros dois aparelhos em 2014 e os restantes dez em 2017, altura em que o novo aeroporto de Lisboa deverá entrar em funcionamento. Estes aparelhos vão servir os voos de longo curso, que entretanto irão ser reforçados com os A330-200, que vão renovar a frota da companhia até à entrada dos A350. A recepção destes aparelhos ficará concluída em Junho do próximo ano.

Da encomenda dos oito A320 ontem confirmados, quatro vão substituir aparelhos em operação no médio curso e os restantes vão reforçar a frota da TAP. A preços de catálogo, cada A350 custa 200 milhões de dólares, valor que desce para 170 milhões de dólares no caso dos A330 e para 65milhões nos A320, que vão ficar "exclusivamente ao serviço da TAP", esclareceu Fernando Pinto. Esta declaração contraria, assim, os rumores de que os A320 iriam equipar a frota da PGA, cuja renovação - garante o presidente da TAP - "será realizada dentro de dois a três anos".

Os valores ontem revelados pela Airbus para os A330 não são os mesmos que a TAP vai pagar. Em média cada aparelho comprado pela transportadora portuguesa deverá custar entre 80 a 90 milhões de dólares. Os modelos são flexíveis e cada companhia define os interiores do equipamento, o que se reflecte no preço final.

Com a entrega do primeiro A330, a TAP passa a operar uma frota de 52 aviões Airbus. Os aviões substituirão, no futuro, a frota A340 e A320 e apoiarão a expansão da TAP. Este modelo, que se encontra ainda em desenvolvimento, tem autonomia para realizar percursos até às 16 horas, ou seja, a companhia poderá começar a voar, a partir de 2012, para Pequim ou Tóquio, mercados que a companhia já está a estudar.

Entretanto, a área de Manutenção e Engenharia da TAP teve de fazer algumas adaptações nos seus hangares para receber os novos A330. E quando os A350 começarem a chegar a TAP tem de ter resolvido o problema de espaço com que se debate na Portela. Desde já está afastada a possibilidade da manutenção se deslocalizar para Beja. | * A jornalista viajou a convite da empresa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG