Xadrezista Ruben Pereira vice-campeão mundial

Ruben Pereira tornou-se o primeiro xadrezista português a conquistar uma medalha individual em grandes competições internacionais, ao sagrar-se vice-campeão mundial na categoria de sub-16, em Antalaya, na Turquia. Aconteceu ontem, na última jornada do torneio, após um empate frente ao campeão mundial, o romeno Ioan Cristian Chirila - a vitória teria dado o título mundial.

O jovem português, que é o vice-campeão nacional e mestre da FIDE, tinha já obtido excelentes perfomances no torneio de mestres e no campeonato nacional, onde demonstrou uma evolução qualitativa. O seu desempenho nos campeonatos foi excelente, apoiado pelo Mestre internacional e actual campeão nacional, Rui Dâmaso, que culminou com a obtenção da medalha de prata.

"Fixei um objectivo, que era terminar entre os dez primeiros, mas assumo que não esperava este resultado", afirmou o jovem após receber a medalha de prata. "Agora espero ter mais apoios para poder evoluir e construir uma carreira internacional no xadrez", acrescentou o jogador para confessar que "antes do último jogo estava uma pilha de nervos". Todavia, apesar de não se mostrar exuberante na manifestação de sucesso o jogador da Associação Académica da Amadora assumiu que "a medalha não sabe a pouco".

O presidente da Federação Portuguesa de Xadrez (FPX), António Bravo, considerou que o desempenho de Ruben Pereira é a prova de que "apesar de os apoios à formação serem escassos na modalidade, o Xadrez pode ter em Portugal um futuro promissor".

Se recuarmos na história da modalidade, exceptuando o título da campeã da União Europeia de Ana Batista, em 2003, só existiram atletas medalhados em provas colectivas, nos mundiais de sub-26 realizados no Brasil em 1993 e 1995. Já os Mestres Sérgio Rocha, Rui Dâmaso e o Grande Mestre António Fernandes foram medalhados na Olimpíada de Manila, em 1992.

O Mestre Joaquim Durão, antigo campeão de Portugal , considera que este resultado "é a confirmação de um jovem que é já considerado um dos melhores jogadores portugueses da actualidade e a mais sólida esperança lusa no plano internacional. É um jovem com um futuro muito promissor e caso tenha condições pode ir longe", adiantou ao DN o também ex-presidente da FPX.

Relativamente aos restantes jogadores , no escalão de sub-8, Gonçalo Silva, terminou no 85.º lugar, no escalão de sub-14, Pedro Neves classificou-se em 128.º lugar, no escalão de sub-16 feminino Catarina Costa conclui a prova no 45.º lugar e em sub-18, André Viela terminou a competição no 48.º lugar.|

Ler mais

Exclusivos