Ingleses pagam substituição do relvado de Alvalade

O Sporting vai ter um relvado novo a custo zero, segundo o DN apurou. O clube decidiu avançar já para a mudança total da relva do Estádio José Alvalade em vez de fazer uma mudança parcial, como previu Soares Franco após o jogo com o Vit. Guimarães. O clube acredita que o novo tapete estará operacional para o próximo jogo dos leões em casa, no próximo dia 21, frente ao Fátima (Taça da Liga). Se tal não acontecer, o Sporting vai jogar no Restelo.

A decisão resultou de uma reunião do presidente leonino, ontem, com a empresa inglesa que vai proceder à alteração (SIS). A nova relva do estádio leonino vem do Alentejo da empresa Campsol, a mesma que forneceu recentemente a relva do actual tapete do Santiago Barnabéu, o estádio do Real Madrid, e do PSV (Holanda).

A operação custa cerca de 100 mil euros e será suportada na íntegra pela empresa inglesa que colocou a relva original e assim assume a responsabilidades de mais um fracasso. O Sporting fica ausente de encargos financeiros, pelo menos até que o relvado dê garantias (o último tinha garantia de três anos).

A relva começou ontem de manhã a ser removida, estando prevista a conclusão da instalação para a próxima segunda-feira. Inicialmente, o clube ainda pensou em aproveitar a paragem de duas semanas na Liga para substituir as zonas em pior estado e só no final da época mudar a estrutura completa. Mas, após uma reunião com os técnicos ingleses, Soares Franco recebeu a garantia de o poder fazer já e sem custos.

Esta é a terceira vez em quatro anos que o tapete leonino vai ser mudado. A última mudança aconteceu logo a seguir ao concerto dos Rolling Stones, que teve lugar em Alvaladeno dia 25 Junho. Já nessa altura, o clube adivinhava os estragos que Mick Jagger iria fazer e só aceitou receber o concerto se a empresa promotora aceitasse pagar metade do valor da troca do relvado. A mudança foi feita em Julho - devia durar até 2009 - e custou cerca de 100 mil euros: a promotora pagou 50 mil euros e o Sporting outro tanto.

Polga reavaliado hoje

Anderson Polga lesionou-se no jogo com o Vit.Guimarães e teve de ser substituído no segundo tempo por Marian Had. O central brasileiro contraiu um "estiramento na coxa", segundo informou o médico Virgílio Abreu, e tem de ser "reavaliado diariamente" para afastar o cenário de rotura.

Polga será então reavaliado hoje para saber a gravidade da lesão e o tempo de paragem. O plantel goza hoje o segundo de dois dias de folga e regressa amanhã ao trabalho, embora em formato reduzido, já que há muitos jogadores ao serviços das selecções nacionais.

Bragafute parceira dos leões

A Bragafute Academia prepara-se para ser parceira oficial da Academia Sporting. O director da escola minhota reúne hoje com os responsáveis leoninos e com Aurélio Pereira, técnico da formação, para ultimar os pormenores da parceria.

Os leões adquirem assim o direito de preferência sobre os jovens minhotos. Miguel Almeida e Bruno Silva, ambos de oito anos de idade, são apenas dois dos talentos da Bragafute que já assinaram pelos leões. Esta é a terceira parceria leonina: depois de assegurar a região do Algarve e do Porto, agora segue-se Braga.|

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

Conhecem a última anedota do Brexit?

Quando uma anedota é uma anedota merece ser tratada como piada. E se a tal anedota ocupa um importante cargo histórico não pode ser levada a sério lá porque anda com sapatos de tigresa. Então, se a sua morada oficial é em Downing Street, o nome da rua - "Downing", que traduzido diz "cai, desaba, vai para o galheiro..." - vale como atual e certeira análise política. Tal endereço, tal país. Também o número da porta de Downing Street, o "10", serve hoje para fazer interpretações políticas. Se o algarismo 1 é pela função, mora lá a primeira-ministra, o algarismo 0 qualifica a atual inquilina. Para ser mais exato: apesar de ela ser conservadora, trata-se de um zero à esquerda. Resumindo, o que dizer de uma poderosa governante que se expõe ao desprezo quotidiano do carteiro?

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

A escolha de uma liberdade

A projeção pública da nossa atividade, sobretudo quando, como é o caso da política profissional, essa atividade é, ela própria, pública e publicamente financiada, envolve uma certa perda de liberdade com que nunca me senti confortável. Não se trata apenas da exposição, que o tempo mediático, por ser mais veloz do que o tempo real das horas e dos dias, alargou para além da justíssima sindicância. E a velocidade desse tempo, que chega a substituir o tempo real porque respondemos e reagimos ao que se diz que é, e não ao que é, não vai abrandar, como também se não vai atenuar a inversão do ónus da prova em que a política vive.

Premium

Marisa Matias

Penalizações antecipadas

Um estudo da OCDE publicado nesta semana mostra que Portugal é dos países que mais penalizam quem se reforma antecipadamente e menos beneficia quem trabalha mais anos do que deve. A atual idade de reforma é de 66 anos e cinco meses. Se se sair do mercado de trabalho antes do previsto, o corte é de 36% se for um ano e de 45%, se forem três anos. Ou seja, em três anos é possível perder quase metade do rendimento para o qual se trabalhou uma vida. As penalizações são injustas para quem passou, literalmente, a vida toda a trabalhar e não tem como vislumbrar a possibilidade de deixar de fazê-lo.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

O planeta dos sustentáveis 

Ao ambiente e ao planeta já não basta a simples manifestação da amizade e da esperança. Devemos-lhes a prática do respeito. Esta é, basicamente, a mensagem da jovem e global ativista Greta Thunberg. É uma mensagem positiva e inesperada. Positiva, porque em matéria de respeito pelo ambiente, demonstra que já chegámos à consciencialização urgente de que a ação já está atrasada em relação à emergência de catástrofes como a de Moçambique. Inesperada (ao ponto do embaraço para todos), pela constatação de que foi a nossa juventude, de facto e pela onda da sua ação, a globalizar a oportunidade para operacionalizar a esperança.