Mão de Ronny atira Sporting ao tapete

O Sporting perdeu pela primeira vez esta época, frente ao Paços de Ferreira, e pode-se queixar do árbitro. João Ferreira validou o golo de Ronny, marcado com a mão, sobre o intervalo, e acabou por ser decisivo na vitória pacense em Alvalade. Paulo Bento e a jovem equipa leonina não mereciam descer tão bruscamente à terra depois de andar nas nuvens com a vitória frente ao Inter.

A receita para vencer o Paços era a humildade, a mesma que foi utilizada para vencer a equipa de Figo. Mas, ontem, em Alvalade o adversário foi contagiado pelo mesma poção mágica que deu força aos leões na Liga dos Campeões e acabou por colher frutos mais cedo. O Paços de Ferreira entrou de mansinho num jogo dominado pelo Sporting desde o início. A troca de Abel por Miguel Garcia e de Yannick por Alecsandro, foram as únicas novidades na equipa titular, que continuou a ter em Miguel Veloso o pivô de todo o jogo leonino. A jogar a trinco, o jovem jogador leonino foi mesmo o que mais vezes rematou à baliza de Peçanha no primeiro tempo, mas nem todo o meio campo lhe acompanhou o ritmo. João Moutinho voltou a jogar encostado à direita e, ao contrário do jogo de terça-feira, o rendimento deixou a desejar, tal com o de Romagnoli que sairia ao intervalo. Com um novo parceiro no ataque, Liedson mostrou-se mais activo no jogo, mas também mais longe da baliza. O camisola 31 teve de vir atrás buscar jogo por diversas vezes e não teve a desmarcação necessária quer de Alecsandro quer de Nani.

Já a equipa orientada por José Mota teve momentos de puro alheamento do jogo abdicando de jogar de igual para igual nos primeiros 30 minutos. A estratégia dos pacenses estava a dar resultados e conseguiu mesmo um claro domínio nos lances de bola parada que viriam a decidir o jogo. O árbitro auxiliar já tinha exibido a placa com os três minutos de compensação quando a equipa da capital do móvel ganha um pontapé de canto e chega ao golo de forma irregular. Ronny estava no lugar certo e marcou com a mão fazendo o quarto golo da época e reforçando a liderança nos melhor marcadores.

Foi a segunda vez na época em dois jogos em casa que os leões sairam para o intervalo em desvantagem. Miguel Garcia (lesionado) e Romagnoli já não regressaram e deram lugar a Ronny e Djaló. E mais uma vez ficou provado que os leões são mais práticos no segundo tempo. Para azar do Sporting, Peçanha que esteve para não jogar devido a lesão, acabou por ser uma das figuras do segundo tempo, ao evitar o golo a Alecsandro, Nani, Liedson. Paulo Bento jogou a última carta e fez entrar Bueno, alargando a frente de ataque a quatro homens, mas a necessidade de empatar tirou discernimento na hora de rematar. O golo leonino ficou a milímetros de entrar e ninguém conseguiu evitar que a mão de Ronny fosse tão cruel.

Exclusivos