Cavaco e Sócrates iniciaram "cooperação estratégica"

O Presidente da República eleito, Cavaco Silva, teve ontem o seu primeiro encontro a sós com o primeiro-ministro, José Sócrates.

A "cooperação estratégica" iniciou-se a seguir à habitual reunião das quintas-feiras do Conselho de Ministros, com um almoço no Forte de São Julião da Barra.

Depois de se ter, na manhã de segunda-feira, reunido durante duas horas e meia com o Presidente da República, Jorge Sampaio, em Belém, Cavaco Silva prosseguiu, neste almoço com José Sócrates, as suas tarefas como Presidente da República eleito.

O dia escolhido para a primeira reunião entre Cavaco e Sócrates foi, curiosamente, a quinta-feira - dia em que, tradicionalmente, acontece a reunião semanal entre Presidente da República e primeiro-ministro. E também ontem, como sempre, José Sócrates foi ao Palácio de Belém para se reunir com Jorge Sampaio.

Sobre o encontro, o gabinete de José Sócrates apenas adiantou que "o almoço serviu para trocar impressões sobre temas e assuntos da governação". Mas, evidentemente, se Cavaco Silva cumprir tudo o que disse na campanha eleitoral, terá debatido com o primeiro-ministro a situação económica - foi neste capítulo, aliás, que Cavaco Silva prometeu aos portugueses articular com o Governo uma "cooperação estratégica".

Na sequência da vitória eleitoral de Cavaco Silva, tanto o Presidente da República eleito como o primeiro-ministro desdobraram-se em profissões de fé sobre a necessidade de uma coabitação pacífica entre São Bento e Belém.

José Sócrates, inclusivé, absteve-se de ataques directos a Cavaco Silva durante toda a campanha eleitoral, estratégia que poderá agora facilitar as boas relações entre Presidente da República e primeiro-ministro.

O facto de o encontro não ter sido do conhecimento da comunicação social até à divulgação oficial é considerado uma prova de confiança entre as duas partes. O estilo reservado, nesta matéria, tanto de José Sócrates como de Cavaco Silva é considerado, por alguns observadores, um factor que poderá consolidar uma relação tranquila. A boa vontade já foi declarada pelas partes, agora o exercício diário do poder será a prova dos nove.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG