Estação de Meleças é inaugurada hoje

A linha de comboios de Sintra tem a partir de hoje uma nova estação denominada Meleças, que vai servir cerca de 30 mil pessoas, de Mira-Sintra e Fitares.

A nova estação tem um parque de estacionamento com capacidade para 600 automóveis, que será gratuito até 23 de Dezembro, tendo ainda o atractivo de distribuir, também gratuitamente e até essa data, um café e um jornal a cada utilizador.

De acordo com a CP (Caminhos-de-Ferro Portugueses), a nova estação tem acessos fáceis para deficientes, máquinas automáticas de venda de bilhetes e uma «moderna interface rodoviária e praça de táxis».

A nova estação fica a norte do Cacém, entre Mira-Sintra e Fitares, com comboios a começarem pouco antes das 07.00 (06.56) e a terminarem às 23.11, com uma frequência de 15 minutos.

A ligação é feita entre Meleças e a estação Roma-Areeiro, no centro de Lisboa, onde os comboios começam a circular às 06.10, sendo que a última partida para a nova estação está marcada para as 22:40.

De acordo com a CP, entre Meleças e Sete Rios, a primeira paragem do comboio com ligação à rede do Metropolitano de Lisboa, o trajecto será de 25 minutos, com mais cinco até à estação terminal Roma-Areeiro.

Até agora, os comboios desta linha começavam no Cacém e terminavam em Roma-Areeiro, estendendo-se desta forma a linha, cuja localização fica naquela que era chamada a linha do oeste, que serve a zona de Torres Vedras e que agora termina precisamente em Meleças.

A estação teve um custo superior a dez milhões de euros (números do concurso público), e compreendeu a construção do edifício e plataformas de passageiros, trabalhos na via e catenária (cerca de dois quilómetros), e a construção da interface, com arruamentos e parques de estacionamento, entre outras obras.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.