Premium Onde Lisboa é mais parisiense

Assim como Portugal (e em especial Lisboa) está no topo das preferências dos franceses (maioritariamente vindos de Paris), também a capital tem muito daquela essência parisiense que associamos aos boulevards, à vida cosmopolita e a uma certa luz primaveril. Afinal, o que é que Paris tem que não nos falta em Lisboa?

Aprendemos na escola que a dinastia de Borgonha fundou o reino de Portugal no século XII e nem nos lembramos de que, na sua origem, ela é francesa, o que equivale a dizer que as relações luso-francesas remontam aos primórdios de Portugal como país. São muitos os laços históricos e culturais que nos ligam a França, a que se somam excelentes relações económicas. Não admira que Lisboa tenha tanto de Paris, ou que o número de franceses a morar em Portugal tenha aumentado 34% nos últimos nove anos (Campo de Ourique reúne a maior comunidade francesa da capital).

"Quando as populações se estabelecem e criam raízes, fazem-no tendencialmente através da criação de um conjunto de referências fortes, identitárias, de consumos, como os restaurantes ou as padarias", explica o sociólogo Nuno Dias, especialista em migrações do ISCTE. Segundo ele, esta pode muito bem ser mais uma fase de transformação da cidade: "Se alguém procura um bairro e há identificação com o comércio praticado, com o tipo de pessoas que passeiam na rua, começa a haver a perceção de que o bairro é um bairro de franceses. Entretanto mais famílias os procuram por estarem associados a isso", acrescenta o especialista, seguro de haver razões muito parisienses para se gostar de Lisboa.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG