Quer saber o que a UE faz por si? Arranje espaço no telemóvel e descarregue esta App

Quanto dinheiro já foi investido em Portugal? Que projetos cofinanciados estão atualmente em vigor? O que está a acontecer perto de si? A União Europeia tem uma aplicação que explica tudo. Para não haver dúvidas. Para que os cidadãos vejam a UE como uma coisa sua, de que fazem parte por direito, não como um corpo estranho.

Muito se fala hoje sobre o fim da mudança da hora. Entre 4 de julho e 16 de agosto de 2018 uma petição pública esteve aberta a votação. Apenas quatro milhões - dos 500 milhões de cidadãos da União Europeia - participaram. Quando o resultado saiu, favorável ao fim da mudança, muitos se questionaram porque é que ninguém lhes perguntou nada. A verdade é que todos tiveram a oportunidade de participar e não o fizeram. Agora, com vista às eleições europeias (em Portugal, a 26 de maio), foi lançada a Citizen's App para aproximar mais os cidadãos da UE. Para que saibam o que a instituição faz, como as suas decisões impactam as suas vidas, como podem participar em vez de ficar apenas a assistir.

A Citizen's App, lançada no início do ano, é atualizada em permanência e os seus conteúdos estão disponíveis nas 24 línguas oficiais da União Europeia (UE). Entre elas está, obviamente, o português. Muitos dos seus conteúdos vêm do site what-europe-does-for-me.eu, que o Parlamento Europeu já tinha, sendo possível a cada cidadão saber o que a UE faz por si, tanto por região como por área. E que eventos próximos estão a acontecer. Disponível na Apple Store e na Google Play, a Citizen's App não cessa funções após as europeias de maio. Pelo contrário, é para continuar sempre ativa.

Campus da Nova em Carcavelos

É a universidade mais moderna da Europa. E está na moda. Virada para o Forte de São Julião da Barra, o campus da Nova School of Business and Economics está plantado à beira-mar, mais propriamente em Carcavelos. Da autoria dos arquitetos António Barreiros Ferreira e Vítor Carvalho Araújo, este polo universitário do concelho de Cascais contou com um empréstimo de 16 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento. Isto através do Plano de Investimento para a Europa - o plano Juncker - no âmbito do qual Portugal é o quarto país que mais investimento desencadeou.

Analgésico feito de compostos marinhos

Para saber, por exemplo, o que a UE já fez pelo Algarve, basta fazer pesquisa por "Portugal" e "Algarve" ou procurar no mapa e clicar em cima. A pesquisa indica que a UE financia a 50% projetos como, por exemplo, o Observatório Europeu Multidisciplinar do Fundo do Mar e Coluna de Água (para monitorizar o clima e os sismos com base no fundo do mar algarvio) e o MAR4PAIN (novo analgésico para tratamento da dor crónica desenvolvido a partir de compostos marinhos).

Prevenir novas cheias na Madeira

Quarenta e sete pessoas morreram nas cheias na Madeira em 2010. As principais áreas afetadas foram Funchal, Ribeira Brava, Câmara de Lobos e Santa Cruz. Desde então, a correção das vulnerabilidades tem sido a prioridade. O objetivo é evitar inundações de dimensão semelhante. E, por isso, projetos como a regularização do curso de Ribeira Brava e a intervenção nos principais cursos do Funchal contaram com um financiamento europeu a 85% através do Fundo de Coesão.

30 mil milhões para um Erasmus +

Este é talvez um dos mais bem-sucedidos programas da UE. Em 30 anos, mais de nove milhões de pessoas - quase a população de Portugal - participaram no programa de intercâmbio para estudantes. O atual ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e a chefe da diplomacia da UE, a italiana Federica Mogherini, são dois exemplos da chamada geração Erasmus. A 28 de março deste ano, foi aprovado o próximo programa, Erasmus +, para o período 2021-2027, com um orçamento reforçado de 30 mil milhões de euros. O objetivo é criar mais oportunidades para a educação, para a formação, para os jovens e para o desporto na UE.

O direito a não ser filmado por drones

Os drones são cada vez mais comuns e nalguns países com forte crescimento turístico já há sinais a proibir o seu uso em certas situações. Se um cidadão quiser saber quais os limites de utilização de drones poderá procurar informação no site que foi criado pela Comissão Europeia para o efeito e ao qual pode aceder através da Citizen's App. A legislação difere um pouco de país para país. As regras de proteção de dados da UE também podem ser aplicáveis - que estabelecem, por exemplo, que não se pode fotografar, filmar ou gravar som de outras pessoas sem elas darem o seu consentimento.

Viagens grátis para quem tem 18 anos

No ano passado a UE ofereceu viagens grátis a 30 mil jovens com 18 anos. E neste ano vai fazer o mesmo. Através do programa DiscoverEU. Um complemento do InterRail criado nos anos 1970. Quem nasceu entre 2 de julho de 2000 e 1 de julho de 2001 poderá candidatar-se a viagens grátis pela UE através desta iniciativa. As candidaturas decorrem entre 2 e 16 de maio e podem ser individuais ou em grupo - de até cinco pessoas -, devendo os interessados responder a um questionário e detalhar os seus planos de viagem. Os vencedores serão escolhidos por um júri e as viagens realizadas entre 1 de agosto deste ano e 31 de janeiro de 2020.

Para aceder: www.europarl.europa.eu/at-your-service/pt/stay-informed/citizens-app

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.