Premium Quando a CPLP deu um baile a Livingstone

Costa a Costa - um filme que nasce em Luanda e acaba em Quelimane, estrelado por um geógrafo brasileiro e dois pombeiros angolanos, com Óscares entregues por um príncipe português, no Rio de Janeiro...

E m maio de 1856, David Livingstone, missionário e viajante, chegou à boca do grande Zambeze, no oceano Índico. Tendo em conta que partira de Luanda, no Atlântico, o escocês palmilhante acabara de cumprir um feito fantástico. Atravessou África em largura - de costa a costa, juntando por terra o Ocidente com o Oriente. De forma pessoal e documentada, Livingstone foi o primeiro. Mas terá sido mesmo assim?

Não foi. O escocês teve duas po­derosas instituições ao seu serviço, a London Missionary Society e a Royal Geographical Society, promotoras do imperialismo britânico. Um dia, um jornal nova-iorquino, o New York Herald, mandou o repórter Henry M. Stanley à cata da lenda viva (depois de promover a suspeita de que já morrera). Entre cubatas, no meio da selva, o jornalista encontrou o missionário e lançou-lhe a pergunta engatilhada: "Doctor Livingstone, I presume?" Presumia-se bem, era ele. Manchetes!

Ler mais

Exclusivos