Premium Porque há um animal que se chama preguiça?

O primeiro naturalista que descreveu a preguiça, em meados do século XVIII, não lhe achou graça nenhuma e até a considerou um "animal estúpido". Mas o nome já vinha de trás, do seu primeiro encontro com os seres humanos: os portugueses, que a viram no Brasil. Preguiça ficou.

Naturalista meticuloso, e uma autoridade no seu tempo, o francês e conde de Buffon, George-Louis Leclerc, foi quem primeiro descreveu, por volta de 1750, a preguiça, um mamífero muito particular, que apenas se encontra nas densas florestas tropicais da América do Sul e Central.

Olhando de perto o animal, que parece ter um sorriso permanente pregado na boca e passa imóvel a maior parte do tempo, suspenso dos ramos das árvores, onde se desloca - quando o faz - a uma velocidade de fazer inveja a uma imagem em câmara lenta, George-Louis Leclerc ficou muito mal impressionado.

"Estas preguiças", escreveu, "são o nível mais baixo da existência na ordem dos animais de carne e osso". Na sua sapiência, o conde de Buffon não teve dúvidas: "Um defeito mais, e a sua existência seria impossível."

Ler mais

Exclusivos