Premium Deus defendia a preguiça e o genro de Marx apoiou

Cento e trinta anos depois de Paul Lafargue ter publicado o seu polémico ensaio O Direito à Preguiça, a Universidade Livre de Bruxelas decidiu debater a questão. Sem preguiça, despachou o debate de mais de uma dezena de especialistas num único dia com mestria e deu razão ao revolucionário.

Paul Lafargue nunca conseguiu livrar-se da relação com Karl Marx porque se casou com uma filha dele, Laura, e até hoje não se fala do seu famoso livro O Direito à Preguiça (editado em Portugal em 2016 pela Antígona) sem referir o amigo de Engels e autor de O Capital.

Nascido em Cuba, Lafargue publicou ao longo de três décadas uma verdadeira enciclopédia de artigos e livros que o identificaram para a história como um jornalista revolucionário, socialista e marxista. O pacto de suicídio com a mulher interrompeu a sua vida aos 69 anos.

Ler mais

Exclusivos