Premium Como é voar como um pássaro?

Leonardo da Vinci não conseguiu mas hoje já é possível: Hugo Pronto é um dos poucos praticantes de asa-delta em Portugal. E garante que a sensação é absolutamente "incrível".

A parte melhor "é quando levan­tas voo e te sentes a subir". A su­bir, a subir. O chão a ficar cada vez mais longe, as coisas todas cada vez mais pequeninas. É isso voar. Tirar os pés do chão e deixar-se ir. Sem motor, sem barulho. Seguir o vento. Ou aproveitar as massas de ar quente. Ouvir o silêncio. Ter a companhia dos pássaros. Sentir-se um deles. Um pássaro de asas enormes. Hugo pode ficar horas lá em cima, houve uma vez que ficou seis horas a voar. Dá para imaginar? "É uma sensação incrível."

Hugo Pronto tem 35 anos, nasceu nas Caldas da Rainha, vive em Lisboa e é técnico de telecomunicações. Nenhuma destas informações é relevante. Para conhecer Hugo é preciso saber isto: ele voa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.