Ficar mais um ano no pré-escolar pode ser a melhor opção

Ganhar maturidade é bom para as crianças

Crianças que fazem 6 anos depois de 15 de setembro não têm lugar garantido no 1.º ano

As crianças que fazem 6 anos depois de 15 de setembro só entram para a escola se existir vaga e os pais quiserem inscrevê-las. Isso mesmo aconteceu, por exemplo, a 5226 alunos, que em 2013/2014, frequentavam o pré-escolar já com 6 anos. Para os pais este é muitas vezes visto como um ano perdido, mas os professores, o pediatra e uma mãe psicóloga com quem o DN falou não veem as coisas desta maneira. Pelo contrário, acreditam que ficar no pré-escolar pode ser a chave para o sucesso dos alunos.

"Na turma do meu filho há muitos condicionais [alunos que entram à condição de existir uma vaga] e passaram o primeiro mês a chorar. Em termos emocionais acho que as crianças com 5 anos não estão preparadas", refere Cláudia Vieira. Mãe de Gonçalo, que faz aniversário no final de outubro, a psicóloga acabou por optar manter o filho no pré-escolar em vez de antecipar a sua entrada na escola. Já se passaram três anos e Cláudia não se arrepende: "Foi a melhor decisão. O Gonçalo é o segundo mais velho da turma, mas é o mais responsável e tem Muito Bom a tudo. Faz os trabalhos de casa sozinho e tem outra motivação para estudar."

Esperar que as crianças tenham maturidade é também a opinião de Hugo Rodrigues. O pediatra lembra que "a ciência diz que a idade ideal para entrar na escola são os 6 anos". Logo, tentar antecipar a entrada na escola, "vai levar a que eles tenham que fazer um esforço mental para o qual não estão preparados". "Mesmo que depois até consigam recuperar na adolescência, estas crianças que entram mais cedo, voltam a ressentir-se dos ritmos diferentes de desenvolvimento", acrescenta o médico.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub