A anorexia e bulimia não são modas, são doenças

Psiquiatra Daniel Sampaio apresentou livro de Diana Mendes

Livro sobre as doenças do comportamento alimentar conta histórias de quem vive com estes distúrbios

João tem 1,82 metros e chegou a pesar 50 quilos. Não pela busca de um peso ideal, mas para "pôr à prova" o seu corpo. "Não era bem porque queria pesar um número bem definido de quilos. Era mais para ver a quantidade de estragos que podia fazer. Tinha obsessão não pelo peso em si, mas por testar até que ponto o corpo humano podia aguentar o que lhe estava a fazer."

João sofre de anorexia e é uma das histórias que mais impressionou Diana Mendes, a autora do livro Fome de Perfeição, que conta histórias de luta contra as doenças do comportamento alimentar. Dez por cento dos casos de bulimia e anorexia afetam homens. Mas o mais comum é que sejam as mulheres e especialmente raparigas a desenvolver estas perturbações alimentares. Os estudos mais recentes coordenados pela médica Isabel do Carmo apontam para uma prevalência da anorexia de 0,4%, entre os 10 e os 21 anos. Em relação à bulimia, a prevalência, segundo um estudo da professora Maria Helena Azevedo, é de 0,16%.

Os números são referidos no livro da ex-jornalista do DN que espera que a obra ajude a "desmistificar uma série de situações em relação à moda, não são doenças da moda, podem acontecer com a prática muito intensiva de desporto, com a pressão que as crianças têm para serem perfeitas em tudo". "São tudo fatores gatilho", sintetiza.

Além disso, a pressão social com "escolas que pesam alunos uns em frente aos outros, como fator de exposição que é embaraçoso; as televisões que a toda a hora dão programas a falar de alimentação; a publicidade que mostra gente muito magra a comer gelados, criando estímulos dúbios, até chegarmos às páginas na internet que prometem dar 365 razões para se ser magro, porque se deve ser magro, e métodos para perder o apetite". Diana Mendes acredita que a sociedade tem ainda um caminho a percorrer para ajudar a desmistificar estas doenças.

No entanto, a autora lembra que nem todas as pessoas que passam por dietas desenvolvem doenças, havendo fatores biológicos e psicológicos que contribuem para o seu aparecimento. "A anorexia normalmente está ligada a personalidades mais rígidas, mais obsessivas, a bulimia são personalidades mais depressivas", explica.

Do contacto com os doentes ficaram histórias "muito chocantes". "Raparigas internadas com 30 e tal quilos que acham que já estão recuperadas". Ou casos em que os doentes "dividem os mil folhas em mil folhas ou espalham o iogurte pela bancada da cozinha para passar a tarde toda a comer cada bocadinho com o dedo".

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub