Um nome para os livros de História que também vai ser nome de rua

Autarquia da Amadora depositou coroa de flores na placa da avenida dr. Mario Soares

Vem aí uma uma homenagem a Soares na toponímia lisboeta. Na Amadora já é nome de praça (ou melhor, rotunda)

Inscrever o nome na história de Portugal é sinónimo de inscrevê-lo em pedra. Leia-se na toponímia, em particular da capital, que já consagra um apreciável número de políticos portugueses. Fernando Medina já deixou antever que Mário Soares vai passar a ser nome de rua - ou de avenida, ou de praça - em Lisboa. Haverá tempo para essa decisão, disse o autarca da capital.

O ex-Presidente da República não tem nome na toponímia lisboeta (a capital tem, aliás, a regra de só inscrever nomes a título póstumo), mas não é preciso ir muito longe para encontrar a avenida e a praça Dr. Mário Soares. Ficam já na Amadora, na freguesia da Encosta do Sol, muito perto da fronteira com Lisboa, e foram inauguradas na presença do próprio, em 2014. Disse então Mário Soares que não era uma "pessoa especial".

A praça - que na verdade é uma rotunda - e a avenida são mais sítio de trânsito do que de pessoas. Em tempos houve ali um bairro de barracas, que deu lugar a uma megarrotunda ladeada por um parque e por pequenas hortas (e mais estradas). É ali ao lado que estão que estão Dulce Rodrigues, de 73 anos, e Teresa Martins, de 79. É um sítio inóspito, sim senhor, "não devia haver outro". E Soares? "Foi um grande homem, fez muitas coisas boas", diz Dulce Rodrigues. "Se não fossem pessoas assim..." Teresa Martins concorda: "Lutou pela liberdade e sofreu muito, casou-se na cadeia, esteve separado da família." Mas "também fez muitas coisas más. A descolonização, aquilo podia ser feito de outra maneira". "Se não fosse assim nunca mais se fazia", riposta Dulce. E foi Soares o maior político português do século XX? "Há quem diga o Álvaro Cunhal..."

Ao fundo da avenida, a placa toponímica com o nome de Soares tem agora uma coroa de flores da Câmara da Amadora, que assim presta ao ex-Presidente da República "uma sentida homenagem". Num parque ao lado, Manuel Silva puxa dos elogios: "Lutou por princípios, foi a vida dele. Acho que a maioria dos portugueses tem boa impressão de Mário Soares."

Dali, das três faixas de rodagem e das seis saídas - sim, a rotunda é maior do que a do Marquês de Pombal e também rivaliza no número de acidentes - saem ligações para a CREL, para a CRIL, para o IC16, para a 2.ª Circular e para a Avenida Lusíada. Nas hortas ao lado cultivam-se batatas, favas, nabiças, coentros, rabanetes, uma longa lista de legumes que compõem a mesa de Maria Ermelinda. E Soares, logo ali ao lado, a dar nome à praça e à avenida, dizendo não ser uma pessoa especial? "Olhe, o Mário Soares faz-me lembrar aquele senhor lá de fora, como é que ele se chamava?...Mandela não era." Soares é tanta coisa que até é nome de rotunda. E também vai ser nome de rua em Lisboa.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular