PSP e GNR dizem que novo ministro não está ligado à segurança

O novo ministro toma posse na sexta-feira

ASPP e APG/GNR reagem a indigitação de João Calvão da Silva para novo ministro da Administração Interna

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) avisou hoje o novo ministro da Administração Interna, João Calvão da Silva, que tem um mês para criar as condições necessárias para a entrada em vigor do novo estatuto da PSP.

"O novo ministro vai entrar com um problema entre mãos, que é a entrada em vigor a 01 de dezembro do novo estatuto profissional da PSP", disse à agência Lusa o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, a propósito da nomeação do novo ministro da Administração Interna.

O presidente do maior sindicato da PSP adiantou que João Calvão da Silva tem que criar "as condições financeiras e logísticas para que a 01 de dezembro o novo estatuto entre em vigor de forma adequada".

Paulo Rodrigues disse ainda que o novo ministro nunca esteve ligado à área da segurança, sendo mais da justiça.

Opinião semelhante tem o presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), César Nogueira, que afirmou à Lusa que João Calvão da Silva tem um currículo idêntico à anterior ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues.

Sem adiantar uma reação ao novo ministro, uma vez que poderá ser um Governo provisório, César Nogueira afirmou que João Calvão da Silva "não é uma pessoa ligada à segurança e à administração interna".

João Calvão da Silva, professor catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, foi hoje nomeado ministro da Administração Interna, regressando ao Governo 30 anos depois de ter feito parte de um executivo PS/PSD liderado por Mário Soares.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, marcou a tomada de posse do XX Governo Constitucional para o dia 30 de outubro, pelas 12:00 horas, no Palácio da Ajuda.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular