Jerónimo sobre o orçamento: "não temos pedras no sapato"

O secretário-geral do PCP não disse "sim", mas também não disse "não" ao orçamento de Estado apresentado pelo Governo PS. Deixou implícita a sua aprovação, com base na assumida atitude "construtiva"

"Cada coisa a seu tempo. Estamos a fazer o exame, a dar a nossa contribuição e propostas, mas sempre com espírito construtivo", garantiu Jerónimo de Sousa, quando questionado sobre qual seria o sentido de voto do PCP em relação ao orçamento de Estado para 2016. Em plena arruada do Porto, na rua de Santa Catarina, na reta final da campanha eleitoral que tem por objetivo principal, para os comunistas, "derrotar a candidatura de direita, de Marcelo Rebelo de Sousa", seria, no mínimo, bizarro que Jerónimo viesse por em causa o apoio ao governo PS. E Jerónimo garantiu: "Não estamos aqui com pedras no sapato, estamos com uma posição construtiva. Queremos que saia um orçamento, mesmo sabendo dos constrangimentos e dificuldades. O nosso esforço é a procura de convergência.". Para o secretário-geral do PCP "o importante é que se confirme o consenso verificado na posição comum que tivemos com o PS, procurando que ela seja concretizada no orçamento". Os comunistas, assinalou, "estão fortemente empenhados para que este orçamento corresponda ao sinal que o povo português quis dar nas eleições de 4 de outubro, que foi por um ponto final nas políticas de direita de exploração e empobrecimento".

Últimas notícias

Mais popular