Deputado do PSD pede desculpa por ter votado por Lisboa para sede da EMA

Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD, mora no Porto e foi eleito por Viana do Castelo

Carlos Abreu Amorim assume que não teve um "dever de cuidado" quando aprovou a saudação à candidatura portuguesa a sede da Agência Europeia de Medicamentos

Residente no Porto e eleito pelo círculo de Viana do Castelo, o deputado 'laranja' contribuiu em 11 de maio passado para a unanimidade do voto socialista de saudação à candidatura de Lisboa a sede da Agência Europeia de Medicamentos (que vai deixar Londres quando se consumar o "Brexit").

Depois disso, o presidente da câmara do Porto, o independente Rui Moreira, abriu uma guerra com o Governo exigindo que a candidatura da sua cidade seja considerada. Vários deputados - do PSD, PS, BE e CDS - vieram dar o dito por não dito, defendendo a candidatura da "Invicta".

Hoje, no Facebook, Carlos Abreu Amorim assumiu o erro do seu voto a favor de Lisboa, começando por referir o contexto da votação: "Há mais de um mês, na AR, o PS apresentou um 'Voto de Saudação' intitulado 'De Apoio à Candidatura de Portugal à sede da Agência Europeia de Medicamentos'. Foi aprovado por unanimidade."

Ora, prosseguiu, "não é segredo para ninguém que neste tipo de votos se dá muito mais atenção à tomada de posição política do que às eventuais interpretações verbais - ao contrário do que sucede com os textos normativos onde cada palavra é pesada e avaliada cuidadosa e sistematicamente em comissões e grupos de trabalho".

Concluíndo: "Ainda assim, e por mim falo, deveria ter lido o Voto de Saudação com maior atenção e percebido que o PS estava a entronizar Lisboa como sede da EMA à boleia da candidatura de Portugal.
Por não ter tido esse dever de cuidado peço desculpa aos meus eleitores e a todos aqueles que também consideram o centralismo como a pior doença crónica do nosso País."

Até agora, só os partidos da CDU e o PAN não mostraram arrependimento. Há momentos, no Facebook, o deputado do PCP António Filipe salientou isso mesmo, no que toca ao seu partido. "Pois é verdade. O Parlamento aprovou há um mês atrás por unanimidade um voto de congratulação com a candidatura de LISBOA a sede da Agência Europeia do Medicamento. Agora, aparecem as vozes mais autorizadas do PSD, do CDS, do BE e até deputados do PS (que teve a iniciativa do voto) a criticar a decisão que apoiaram. E depois, confrontados com a contradição, inventam umas justificações mal amanhadas, que nem sim nem não, antes pelo contrário. Do PCP e do PEV, nada. A coerência é tramada. Não é notícia."

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub