55 taxistas do aeroporto condenados no ano passado por burlas a turistas. PSP reforça controlo

Das 114 detenções feitas no ano passado, metade resultaram em condenação, maioria com pena suspensa. As vítimas são estrangeiros obrigados a pagar 6 a 10 euros a mais. Agentes trabalham à paisana.

Chegados de Londres ao aeroporto da Portela, um grupo de amigos de nacionalidade britânica entrou num táxi com destino a Albufeira, Algarve. Combinado previamente com o motorista, o valor pago seria 500 euros (450 da viagem e 50 euros pelas portagens). Mas a viagem foi bem mais curta e em vez dos supostos 300 km de distância a percorrer, o taxista optou por deixar o grupo em Troia, a pouco mais de 100 km de Lisboa. Uma situação contada ao DN por um agente da PSP que todos os dias está no terreno a fiscalizar a atuação dos cerca de 700 motoristas à espera de passageiros na praça de táxis do aeroporto de Lisboa. Desde 2013 até março deste ano foram detidos 166 deles pelo crime de especulação de preços.

Só em 2014, a Divisão de Segurança Aeroportuária da PSP realizou 60 operações desta natureza. Dessa atividade "resultou a detenção de 55 motoristas pelo crime de especulação financeira", explicou ao DN o comandante desta divisão, Dário Prates. Em nenhum destes casos foi emitida fatura ao cliente. Em 37 casos foram cobrados valores a mais entre os 6 e os 20 euros. Todos acabaram condenados pelos tribunais: com pena de prisão suspensa ou obrigados a pagar uma multa de valores de 550 euros a 2250 euros. Há ainda um caso em que o taxista foi condenado a prisão efetiva de sete meses. Os suspeitos são quase sempre detidos em flagrante delito. Aos 55 casos juntam-se ainda 27 denunciados por passageiros e 37 denunciados em esquadras de Turismo da PSP de Lisboa.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub