Teodora Cardoso sugere taxar levantamentos bancários

Presidente do Conselho de Finanças Pública diz ainda que salários em Portugal "nunca vão subir muito" porque o País compete com outros onde os salários são baixos.

A presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Teodora Cardoso, defendeu esta segunda-feira, no primeiro dia de jornadas parlamentares do PSD, que decorrem em Viseu, um imposto sobre os levantamentos e movimentos bancários. A ideia passa por colocar os cidadãos a receber os salários e pensões numa conta poupança, sendo posteriormente taxados pela movimentação dessas verbas.

Teodora Cardoso, que apresentou um pacote de ideias para o Portugal pós-troika, tema central da reunião dos deputados sociais-democratas, alertou ainda que os salários em Portugal "nunca vão subir muito" porque o país compete com outros onde os salários são mais baixos,

E lembrando que as decisões orçamentais têm influência não só no ano do Orçamento do Estado em causa mas "em muitos anos seguintes", a presidente do CFP sublinha que deveria haver uma lei orgânica com os limites ao défice e uma regra na Constituição que limite os máximos de dívida do País.

Teodora Cardoso definiu ainda como "necessário" e "essencial" um entendimento prolongado entre o PSD e o PS em diferentes áreas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular