Bispo fez "exercício gratuito de insulto e de difamação"

O coordenador da Comissão Política Nacional do PSD considerou hoje que o bispo das Forças Armadas, Januário Torgal Ferreira, fez "um exercício gratuito de insulto e de difamação" ao acusar o Governo PSD/CDS-PP de ser "profundamente corrupto".

Em conferência de imprensa, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Jorge Moreira da Silva considerou que o bispo Januário Torgal Ferreira fez "afirmações lamentáveis, que não se inscrevem sequer no contexto de combate político" e que "traduzem um exercício gratuito de insulto e de difamação".

"Em qualquer caso, o PSD regista que hierarquia da igreja [Católica] se demarcou totalmente destas declarações, que acabam por ser impróprias para a qualidade da nossa democracia", acrescentou o vice-presidente e coordenador da direção nacional social-democrata.

Em entrevista à TVI24, na segunda-feira à noite, o bispo das Forças Armadas acusou o Governo PSD/CDS-PP chefiado por Pedro Passos Coelho de ser "profundamente corrupto" e comparou "alguns" ministros a "diabinhos negros", por oposição aos "anjos" do anterior executivo.

Estas afirmações já levaram o ministro da Defesa Nacioal, José Pedro Aguiar-Branco, a defender que Januário Torgal Ferreira deve fazer "uma escolha entre ser bispo das Forças Armadas e ser comentador político" e a desafiá-lo a apresentar na Procuradoria Geral da República "os factos que fundamentam" a sua acusação ao Governo.

Últimas notícias

Mais popular