Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Investigador diz:

Emergência económica levou a ditaduras como a de Salazar

por Lusa  

António de Oliveira Salazar
António de Oliveira Salazar Fotografia © Direitos Reservados

O autor de um livro sobre os primeiros anos do regime de Salazar, Jorge Pais de Sousa, recordou hoje que, no século XX, as crises económicas conduziram "muitas vezes" à instauração de ditaduras na Europa e no mundo.

"O estado de exceção e o estado de emergência económica justificaram, muitas vezes, o fim da ordem democrática e do estado de direito", declarou Jorge Pais de Sousa à agência Lusa, no final da apresentação do livro "O Fascismo Catedrático de Salazar".

Editada pela Imprensa da Universidade de Coimbra, a obra foi apresentada em Coimbra pelo historiador italiano Alberto De Bernardi, professor da Universidade de Bolonha.

"Procurei encontrar um fio condutor e perceber que transformações políticas levaram à ditadura militar, ou à situação de emergência económica -- uma situação que nós hoje estamos a viver -- e que justificaram medidas excecionais", disse o autor.

Por seu turno, Alberto De Bernardi lembrou, na sua dissertação sobre os fascismos da Europa -- com Salazar (Portugal), Franco (Espanha), Mussolini (Itália) e Hitler (Alemanha) -- que estas ditaduras "começaram por ser um ataque à democracia", evoluindo depois para o combate ao comunismo.

No livro "O Fascismo Catedrático de Salazar", Jorge Pais de Sousa, doutorado pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, estuda 25 anos da história de Portugal, desde a I República até ao fim da guerra civil de Espanha, em 1939, passando pela intervenção do país na I Guerra Mundial e pelo período da ditadura militar, implantada em 1926.

"É um olhar transversal à história de Portugal, uma coisa que normalmente não se faz na História Contemporânea", sublinhou o investigador.

No seu livro, Jorge Pais de Sousa analisa, designadamente, as "medidas excecionais que levaram a que, por exemplo, Salazar chegasse ao poder" como ministro das Finanças.

"Impôs ao país a ditadura das finanças e controlou o Exército. Muitos dos seus discípulos da cátedra de Coimbra foram decisivos", no seio das Forças Armadas, para a ascensão de António Salazar e a fundação do Estado Novo, que teve a Constituição de 1933 como lei fundamental.

Mais tarde, recordou Jorge Pais de Sousa, o catedrático de Direito da Universidade de Coimbra salientou ter conseguido "transformar a ditadura militar", instaurada em 28 de Maio de 1926, "numa ditadura de doutores".

Artigo Parcial

Patrocínio
 
4627Visualizações
14Impressões
93Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acha que nestes anos de crise tem vindo a poupar?

Mais
Menos
Ou a mesma coisa
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper