Temer entra com processos contra empresário que o acusa de corrupção

Joesley Batista é acusado de calúnia, difamação e injúria

Os advogados do Presidente do Brasil, Michel Temer, entraram com duas ações judiciais hoje contra o empresário Joesley Batista, um dos donos da multinacional JBS, acusando-o de calúnia, difamação e injúria.

O chefe de Estado também pediu que o empresário lhe pague uma reparação por danos morais.

As ações foram iniciadas após Joesley Batista afirmar, numa entrevista publicada no último sábado pela revista brasileira Época, que o Presidente era "chefe da maior e mais perigosa organização criminosa" do Brasil.

No próprio sábado o Governo já havia publicado uma nota oficial afirmando que "Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira (...) O Presidente tomará todas medidas cabíveis contra esse senhor. Na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra ele".

Em maio, o dono da JBS firmou um acordo de delação premiada (acordo que permite vantagens, como a redução de pena de prisão, ao dar informações sobre um caso judicial) com as autoridades que estão à frente da operação Lava Jato.

Esta operação investiga uma vasta rede de corrupção no Brasil, que envolve políticos, empresários e grandes companhias como a Petrobras e a Odebecht.

Na última sexta-feira, Joesley Batista prestou depoimento na Polícia Federal do (PF) num inquérito contra Michel Temer e manteve a sua versão de que o Presidente foi subornado para favorecer a sua empresa.

O depoimento faz parte de uma investigação contra o chefe de Estado, iniciada depois de ele ter sido gravado pelo próprio Joesley Batista supostamente autorizando o pagamento de um suborno ao ex-deputado Eduardo Cunha.

Michel Temer também ouviu o empresário da JBS relatar uma série de crimes sem se manifestar e sem denunciar os factos às autoridades competentes.

A gravação gerou um inquérito contra o chefe de Estado no Supremo Tribunal Federal (STF) como suspeito de cometer os crimes de formação de organização criminosa, obstrução da Justiça e corrupção passiva.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub