Polícia gasta por engano 3 milhões em software. E a Microsoft não tem de devolver o dinheiro

Autoridades queriam valor de volta por ter sido erro, mas o tribunal disse à empresa que podia ficar com o montante já pago

Um tribunal holandês decidiu que uma esquadra de polícia local não será ressarcida em quase 3 milhões de euros, por parte da Microsoft, depois de um erro administrativo que levou à compra de mais de 13 mil licenças do Microsoft Office.

13,656 licenças, para se ser mais exato. É esse o tamanho do erro do funcionário das autoridades. Quanto custou? 2,961,029 euros, ou seja, quase 3 milhões de euros. Dinheiro esse que a polícia queria ver devolvido, por se tratar de um erro. No entanto, um tribunal decidiu que a Microsoft não tinha que devolver nem um cêntimo.

A polícia foi para tribunal pedindo que a compra fosse cancelada e o dinheiro devolvido. A decisão, porém, foi a favor da empresa, com o tribunal a dizer que tudo foi feito de forma legal.

O tribunal considera irrelevante que a polícia ainda não tenha ativado as licenças do software, e diz que a compra foi legal, visto que a Microsoft estava a vender o direito de usar o software e não a utilização em si.

A polícia holandesa não vai recorrer e ficou satisfeita com as explicações dadas pelo tribunal.

Além dos quase 3 milhões de euros, a polícia teve de pagar 10 mil euros em despesas legais e de processo.

De acordo com o thenextweb.com, esta já não é a primeira vez que algo do género acontece. Em 2005, a Microsoft devolveu à polícia holandesa 765 mil euros depois de um outro erro numa compra.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub