PGR afirma que Temer e Aécio agiram em conluio para travar Lava Jato

Ruas das principais cidades brasileiras encheram-se esta noite de manifestantes exigindo a renúncia de Michel Temer

Rodrigo Janot não tem dúvidas que o presidente e o senador estavam "em articulação"

O Procurador-Geral da República brasileiro, Rodrigo Janot, afirmou que o atual presidente do Brasil, Michel Temer, e o ex-senador Aécio Neves atuaram "em articulação" para impedir o avanço do processo Lava Jato.

É o que consta na decisão do juiz do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin que ordenou a abertura do inquérito para investigar Temer, Aécio e o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures.

A declaração é reproduzida pelo site G1: "Verifica-se que Aécio Neves, em articulação, dentre outros, com o presidente Michel Temer, tem buscado impedir que as investigações da Lava Jato avancem, seja por meio de medidas legislativas, seja por meio de controle de indicação de delegados de polícia que conduzirão os inquéritos. Desta forma, vislumbra-se também a possível prática do crime de obstrução à Justiça", escreveu o Procurador-Geral da República.

Para o representante público, o Aécio Neves teria "organizado uma forma de impedir que as investigações [da Lava Jato] avançassem por meio da indicação de delegados que conduziriam os inquéritos, direcionando as distribuições".

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular