Líder do Estado Islâmico "está vivo de certeza", diz responsável curdo

Responsável curdo de uma unidade de contraterrorismo tem 99% de certeza de que Abu Bakr al-Baghdadi está vivo

Um alto responsável curdo de uma unidade de contraterrorismo disse esta segunda-feira que Abu Bakr al-Baghdadi, líder do grupo terrorista Estado Islâmico, está vivo.

A morte de Baghdadi foi dada como certa pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos no início deste mês.

Agora, após o regime iraquiano e a coligação internacional comemorarem esta grande vitória sobre o Estado Islâmico e a recuperação da cidade de Mossul, bastião do grupo terrorista no Iraque nos últimos três anos, a morte de Baghdadi começa a ser questionada.

"Baghdadi está vivo de certeza. Ele não está morto. Temos informações de que ele está vivo e acreditamos 99%", disse à Reuters Lahur Talabany, alto responsável curdo de uma unidade de contraterrorismo.

"Não se esqueçam de que as raízes [de Baghdadi] vêm dos tempos da al Qaeda no Iraque", continuou Talabany. "Ele estava escondido das forças de segurança e sabe o que está a fazer".

Isto não é o fim do Estado Islâmico

Baghdadi, de 46 anos, não é visto em público desde 4 de julho de 2014 na mesquita al-Nusri de Mossul. Nessa data, o homem declarou-se o líder dos muçulmanos no califado autoproclamado Estado Islâmico.

Ao longo dos últimos anos, o líder do Estado Islâmico foi dado como morto ou ferido em diversas ocasiões.

Temos dias muito mais difíceis pela frente. É a Al Qaeda com esteroides

"Ele tem anos de experiência em esconder-se e fugir das forças de segurança", continuou Talabany. "O território que eles ainda controlam é muito difícil. Isto não é o fim do Estado Islâmico, apesar de eles terem perdido Mossul e estarem prestes a perder Raqqa".

"Eles estão a preparar-se para uma luta diferente e temos dias muito mais difíceis pela frente", continuou o responsável, que tem lutado ao lado da coligação internacional contra o terrorismo. É a "Al Qaeda com esteroides", afirmou.

Em junho, o Ministério da Defesa russo revelou que um ataque aéreo na Síria realizado pela Rússia a 28 de maio poderia ter matado o líder do Estado Islâmico. Esta informação não foi confirmada, já que o Observatório Sírio dos Direitos Humanos não precisou quando e como Abu Bakr al-Baghdadi morreu.

Ainda assim, a ONG garantiu que confirmou a morte de Baghdadi através de várias fontes, incluindo altos responsáveis do Estado Islâmico.

O Departamento de Defesa não chegou nunca a confirmar a morte de Baghdadi. "Não temos informações que confirmem as recentes informações sobre a morte de Abu Bakr al-Baghdadi", assegurou uma fonte do Pentágono (sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos).

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub