Homem que ameaçou Casa Branca diz que falava com Trump por telepatia

Detido no sábado, o indivíduo afirmou em tribunal que tinha um asteroide no carro mas que foi Trump quem lhe ordenou que dissesse que tinha uma bomba

O homem que foi detido este sábado após parar num posto de controlo de acesso à Casa Branca e dizer que tinha uma bomba afirmou em tribunal que comunicava telepaticamente com o presidente Donald Trump. Sean Keoughan, de 29 anos, disse ainda que afinal não era uma bomba que tinha no carro, mas sim um asteroide.

Keoughan conduziu até à Casa Branca, no sábado à tarde, num carro roubado e disse aos agentes dos serviços secretos norte-americanos que tinha uma bomba no porta-bagagens.

Um agente contou, segundo a Reuters, que quando Keoughan se aproximou do posto de segurança disse: "Há uma bomba no porta-bagagens. Isto é um teste". O homem não tinha nenhuma arma e não foi encontrado nenhum engenho explosivo.

Em tribunal, Keoughan disse que tinha um saco no porta-bagagens do carro com um asteroide e que foi o presidente Trump quem lhe pediu para dizer aos agentes que era uma bomba.

Keoughan disse ainda, segundo os documentos do tribunal, que estava em contacto telepaticamente com Trump e com funcionários de alto nível dos serviços secretos e da unidade de elite do exército norte-americano Delta Force.

O homem de 29 anos admite já ter recebido tratamento psiquiátrico e ter usado "todas as drogas". Keoughan contou ainda que já tentou cometer suicídio duas vezes, uma delas com uma overdose de heroína.

O detido é acusado de ameaçar e dar falsas informações sobre o uso de um explosivo e enfrenta uma pena de prisão que pode ir até aos 10 anos.

Os serviços encarregados pela segurança do presidente reforçaram a vigilância na Casa Branca após este incidente e outro parecido. Também no sábado, e antes da aproximação de Keoughan, uma pessoa foi detida por aparentemente para tentar saltar os muros da Casa Branca.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub