Mulher diz ser vítima do atentado de Barcelona para pedir dinheiro

Mulher pedia dinheiro na internet para ajudar tratamentos do neto, mas a história é falsa

Uma mulher, alegadamente chamada Maria Tores, fez-se passar por vítima do atentado terrorista em Barcelona e recorreu a angariações de fundos na internet para arrecadar dinheiro. Os doadores pensavam que os valores seriam usados para pagar os tratamentos médicos da filha e do neto de Maria Torres, que teriam sido atropelados nas Ramblas.

Nos sites de angariação de fundos GoFundMe e YouCaring, Maria diz ser de Valência, Espanha, e conta que a filha, Teresa Tores, e o neto, Antonio Tores, estavam em Barcelona a visitar amigos quando ocorreu o ataque.

Num texto emotivo escrito em inglês, Maria conta que a filha sofreu lesões na coluna e neto sofreu ferimentos graves na cabeça e por isso precisa de ser operado numa clínica privada. "A despesa total é de cerca de 8 mil euros e o seguro só paga metade", escreveu a mulher.

"Nós não somos ricos. Só nos temos uns aos outros", continuava o texto publicado a 21 de agosto, quatro dias depois do atentado. O site mostrava ainda uma fotografia de uma criança de cerca de três anos entubada no hospital e a fotografia de uma mulher com um menino ao colo.

O dinheiro seria alegadamente usado para pagar a cirurgia de Antonio Torres e as despesas da recuperação. O problema é que, segundo o El Mundo, não há ninguém na lista de feridos do atentado de Barcelona, lista esta compilada pelas autoridades espanholas, com o nome de Antonio Tores nem de Teresa Tores.

Quando o El Mundo entrou em contacto com Maria, a mulher disse que o neto tinha morrido. Ora, o nome de Antonio Tores também não consta na lista das 16 vítimas mortais dos atentados em Barcelona e Cambrils.

Num artigo publicado esta quinta-feira, o jornal espanhol diz ter começado a investigar Maria porque vários pontos da sua história não faziam sentido. O facto de o menino não ser operado no sistema de saúde pública era de estranhar, assim como o facto de a mulher, a filha e o neto terem o mesmo apelido.

No Facebook, o discurso de Maria apelava ainda mais à emoção. "Ajudei tanta gente e tantos animais, mas agora é a minha família que precisa de ajuda urgentemente", escreveu a mulher. "Imaginem o que é estar no meu lugar, perder um filho e agora a minha filha e o meu neto estão no ataque terrorista de Barcelona. Ambos gravemente feridos!".

Nesta publicação, Maria deixou o link para a sua página no site GoFundMe.

Confrontado com estas dúvidas, o jornal espanhol entrou em contacto com o site GoFundMe, que ativou um processo de verificação para perceber se Maria estava a pedir dinheiro para uma causa real.

O site logo percebeu que Maria acedia à sua conta a partir de fora de Espanha, quando dizia que passava os dias no hospital com a família, e bloqueou a conta a 29 de agosto. Os 300 euros que tinham sido arrecadados pela conta até à altura foram devolvidos aos doadores.

No site do YouCaring, Maria arrecadou até ao momento 1368 euros e a conta continua aberta.

No Facebook de Maria vê-se a mesma fotografia de uma mulher com uma criança ao colo que foi usada nos sites de angariação de fundos mas, nesta rede social, a criança foi identificada como sobrinho, não como neto.

Neste momento, é difícil perceber se Maria Tores existe de facto e, se não, quem são as pessoas que aparecem nas fotografias que publicou.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub