Atirador de Paris tinha sido detido por ameaçar polícia mas foi libertado

Homem tinha sido detido em fevereiro. Familiares estão a ser interrogados

O homem que na noite de quinta-feira disparou contra agentes da polícia nos Campos Elísios, em Paris, tinha sido detido no passado mês de fevereiro por ameaçar agentes da autoridade, mas foi libertado. A notícia está a ser avançada pela agência Associated Press, que cita informações prestadas por dois responsáveis franceses.

As fontes falaram à Associated Press (AP) sob anonimato porque não foram autorizadas a pronunciarem-se publicamente sobre o atentado de quinta-feira na capital francesa.

Já esta sexta-feira, a procuradoria de Paris informou detido para interrogatório três familiares do atacante, que foi abatido pelas forças de segurança depois do ataque. A procuradoria sublinhou que é rotina, em casos como o de quinta-feira, a interrogação de familiares dos suspeitos, para os investigadores determinarem se o atacante agiu sozinho, onde obteve as armas, e outros pormenores.

O autor dos disparos estava já identificado pelas autoridades como extremista. Fontes próximas da investigação identificaram-no como sendo Karim Cheurfi, um francês de 39 anos, condenado já em 2005 a 15 anos de prisão por três tentativas de homicídio, duas delas a polícias. Vivia em Livry-Gargan (Seine-Saint-Denis), nos subúrbios de Paris.

O ministro do Interior francês já confirmou que Karim tinha nacionalidade francesa. Porém, o Estado Islâmico - que reivindicou o ataque ainda na noite de quinta-feira - dizia em comunicado divulgado através do seu órgão de propaganda que "o autor do ataque nos Campos Elísios, no centro de Paris, é Abu Yussef, 'o Belga'". Esta alegada ligação à Bélgica foi entretanto desmentida pelo ministro do Interior da Bélgica, que corroborou a versão do ministro francês.

O ministro belga, Jan Jambon, frisou que o Estado Islâmico deu um nome do atacante que era falso e que Abu Yussef "não é certamente o homem que cometeu ontem o crime", disse à AFP.

Também esta sexta-feira, as autoridades belgas esclareceram hoje que o homem belga implicado por suspeitas de ligação ao tiroteio desta quinta-feira à noite em Paris e que, entretanto, se entregou não está relacionado com o atentado nos Campos Elísios.

"Esse homem veio à polícia ontem à noite depois de se ver aparecer nas redes sociais como o principal suspeito relacionado com os factos de ontem", informou um procurador belga na cidade de Antuérpia, citado pela agência Associated Press, que recusou ser identificado. O mesmo responsável deixou claro que o homem "não faz parte de uma investigação de terrorismo".

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub