Admira Nelson Mandela? Siga o exemplo dele

Nelson Mandela, presidente da África do Sul em 1994, recebido em euforia por crianças

Hoje celebra-se o Dia Internacional Nelson Mandela. A sua fundação, na África do Sul, criou um guia com sugestões para quem quiser dar o seu contributo para um mundo de pessoas melhores e com menos pobreza

Nome maior da política sul-africana, Nobel da Paz, Nelson Mandela é considerado uma das personalidades mais ilustres do século XX e, para muitos no mundo, uma figura inspiradora e um exemplo a seguir. Hoje é o dia do seu aniversário (se fosse vivo completaria 99 anos) e, desde 2009, o Dia Internacional de Mandela, instituído pela ONU. A pensar no que todos podem fazer para preservar o seu legado de paz, diálogo, convivência, união, a sua fundação lançou um guia. Nele estão várias sugestões sobre o que cada um, no contexto em que vive, pode fazer para contribuir para um mundo de pessoas melhores. E não só no dia de hoje. Mas no dia-a-dia, durante todos os dias do ano.

"Encontre um site de doadores para contribuir, dê sangue, ofereça-se para arranjar coisas que estejam danificadas numa escola ou numa organização, voluntarie-se para tratar de um jardim num lar de idosos ou num hospital psiquiátrico, ensine alguém que não sabe a usar o computador e a internet, doe livros para uma biblioteca local, ofereça-se para ir a uma escola secundária falar sobre a sua carreira, doe um computador velho ou material escolar de que não precisa, ensine alguém a aprender a sua língua, faça kits de cuidados para pacientes do hospital mais próximo (com sabonete, pasta e escova de dentes etc...), organize uma recolha de fundos para as crianças com VIH/sida, reúna material de escritório como canetas, papel e tesouras para professores de escolas carenciadas." Estas são algumas das sugestões da lista organizada pela primeira vez pela Fundação Nelson Mandela.

"A fundação considerou que poderia ser útil fazer este guia, especialmente depois de termos mudado a forma como o Dia Mandela deveria ser comemorado", disse o diretor executivo da Fundação Nelson Mandela Sello Hat num comunicado à imprensa. "Em linha com esta alteração estratégica, apelamos a todos os sul-africanos e a todos em todo o mundo para que usem o dia 18 de julho para inspirar a mudança e façam com que o Dia Mandela seja todos os dias. Queremos que todos, na África do Sul e um pouco por todo o mundo, se comprometam com projetos que combatam a pobreza de forma regular", sublinhou aquele responsável.

Nascido a 18 de julho de 1918, Nelson Mandela morreu a 5 de dezembro de 2013, com 95 anos. A luta contra o regime racista branco do apartheid levou-o a passar 27 anos da sua vida na cadeia. Mas, ao contrário do que seria de esperar, quando saiu não procurou a vingança dos negros sobre os brancos, mas a convivência pacífica entre todos numa Nação Arco-Íris. Mesmo na prisão sempre procurou entender o outro lado, aprendendo africâner, a língua dos carcereiros (muitos deles ficaram depois seus amigos). Primeiro presidente negro eleito da África do Sul, entre 1994 e 1999, cumpriu um só mandato e deixou o poder de livre e espontânea vontade. Criou em 1999 a Fundação Nelson Mandela para ajudar no combate à pobreza e à doença do VIH/sida. E também para perpetuar o seu legado. Mas se muitos o elogiam depois de morto, porque é relativamente fácil, difícil é seguir o exemplo de paz, perdão, união e diálogo que deu em vida.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub