ERC abre processo a reportagem da TVI em Pedrógão Grande

ERC informa que lhe chegaram mais de 100 participações que "contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia"

A entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu esta segunda-feira um processo de averiguações "a uma reportagem emitida, na edição de ontem , do Jornal Nacional da TVI, sobre os incêndios em Pedrógão Grande".

Em nota publicada no site, a ERC informa que lhe chegaram mais de 100 participações que "contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia".

"A ERC, consciente do estado de choque em que o País se encontra, sintoniza-se com a sociedade portuguesa e espera que a comunicação social seja de uma sensibilidade profissional a toda a prova, neste momento de luto nacional", conclui a nota publicada pelo organismo.

Horas antes, também o Sindicato dos Jornalistas condenou o sensacionalismo da cobertura noticiosa dos incêndios, recordando que "não deve ser perturbada a dor" das pessoas envolvidas e apelando a ações contra os jornalistas incumpridores do Código Deontológico.

Em comunicado, o sindicato insta ainda os órgãos reguladores, nomeadamente a ERC e a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista, "a agirem" perante os casos de cobertura noticiosa que não cumpram as regras deontológicas.

O fogo, que deflagrou às 13:43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

O último balanço dá conta de 63 mortos civis e 135 feridos. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

Além de Pedrógão Grande, existem quatro grandes fogos a lavrar nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco, mobilizando um total de cerca de 2.150 operacionais, 654 veículos e 16 meios aéreos.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular