Xanana Gusmão assina música em trabalho do coro de Meninos Cantores da Trofa

O grupo Meninos Cantores do Município da Trofa, que junta dezenas de crianças e jovens de várias idades, está a preparar um trabalho dedicado ao mundo lusófono com letras de vários autores, entre os quais Xanana Gusmão.

O projeto ainda não tem nome definitivo mas "para já", conforme explicou à agência Lusa a maestrina Antónia Serra, designa-se "Oito canções, oito países", tendo proporcionado ao grupo "o mais importante momento de sempre desde a sua existência": na última quarta-feira Xanana Gusmão deslocou-se à Trofa para conhecer os Meninos Cantores.

"Queríamos cantar a música dele e o nosso hino. Contávamos estar com ele meia hora, mas estendemos o convívio e foi fantástico. Trouxe prendas para todos [um cachecol típico, o 'tais'] que os miúdos adoraram. Acabamos por ter o tempo todo do mundo. Foi um momento único e, sem dúvida, o momento mais importante da vida dos Meninos Cantores do Município da Trofa", descreveu Antónia Serra.

O histórico ativista timorense, ex-presidente e atualmente ministro de Timor-Leste, é um dos oito autores do trabalho que está a ser preparado por este grupo de pequenos cantores da Trofa, que este ano chega à maioridade, uma vez que foi fundado em outubro de 1999.

Xanana Gusmão assina a música "As fronteiras não se veem do céu", um tema inédito que se junta a outros sete temas, alguns dos quais criados propositadamente para os Meninos Cantores do Município da Trofa e outros de poetas emblemáticos de países de língua oficial portuguesa.

Para representar Angola foi convidado o escritor Ondjaki, enquanto o atual ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, Abraão Vicente, assina a música que representa aquele país.

Regina Boratto, autora que venceu em 2016, com o conto "A Maratona dos Bichos", o Concurso Lusófono da Trofa, escreve pelo Brasil. E Válter Hugo Mãe é o autor português.

A poetisa Olinda Beja é a autora convidada para representar São Tomé e Príncipe, somando-se poemas de Mia Couto, em representação de Moçambique, e de Francisco Conduto de Pina, pela Guiné-Bissau.

Escolhidas as letras, as músicas estão a ser compostas por Mário Alves, estando em perspetiva o lançamento de um CD no próximo ano, depois de apresentadas as canções aos autores convidados.

"À medida que vamos tendo as músicas prontas, vamos ensaiando e preparando as estreias. Gostaríamos muito que a primeira vez que cantássemos a música fosse para o autor. Já o fizemos com Xanana Gusmão e com a autora santomense", descreveu Antónia Serra, referindo-se ao encontro entre os Meninos Cantores e Olinda Beja que ocorreu na última quinta-feira, quando a poetisa participava no Encontro Lusófono Infanto-Juvenil da Trofa.

Atualmente com 30 a 40 elementos, o grupo Meninos Cantores do Município da Trofa foi fundado e é apoiado pela Câmara Municipal da Trofa, distrito do Porto, tendo já acolhido mais de mil crianças e jovens ao longo da sua existência.

Antónia Serra contou que este foi o grupo, que em 2001 representou Portugal no Coro Infantil Lusófono, que juntava crianças de todos os países de língua oficial portuguesa e cuja primeira de várias idas à Assembleia da República foi para cantar "Presente de Natal", numa homenagem a Fernando Lopes-Graça.

Em 2013, com o projeto "Portugal e Brasil - Agora", os Meninos Cantores participara em oito concertos em terras brasileiras e o ano seguinte foi a vez de pisar os palcos da Disneyland Paris, em França.

Já este ano o grupo esteve em Londres, a convite da embaixada de Portugal em Inglaterra, para cantar para a comunidade portuguesa.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular