Plano estratégico de Penela aponta caminhos de desenvolvimento para a próxima década

O município de Penela, no distrito de Coimbra, pretende na próxima década desenvolver um projeto estratégico que permita a fixação de pessoas no concelho, criação de emprego e uma aposta forte na inovação.

O Programa Diretor de Inovação, Competitividade e Empreendedorismo para o município de Penela, apresentado esta manhã, na sessão solene do 25 de abril, assenta a sua estratégia no planeamento do território, economia verde, economia social, inovação e criatividade.

"Quisemos traçar um plano estratégico para o desenvolvimento sustentável do concelho ajustado às necessidades do território, ao contexto onde se insere e às aspirações da população", disse o presidente da Câmara, Luís Matias.

Segundo o autarca, trata-se de um "processo partilhado, mobilizador, coordenado pelo Gabinete de Planeamento Urbanístico e Projeto da Câmara Municipal, que permitiu o envolvimento de muitas dezenas de agentes locais na definição das apostas estratégicas e de uma carteira de projetos estruturantes para a próxima década".

Entre os principais constrangimentos identificados no plano, a que a agência Lusa teve acesso, encontram-se a falta de capacidade de atração de população e criação de emprego, atividade turística pouco estruturada, falta de qualificação e formação profissional e baixa aposta na agricultura e florestas.

O documento aponta, nos seus principais objetivos, para o reforço das acessibilidades, revitalização do tecido empresarial, reforço na aposta do turismo, na agricultura e florestas, proteção e valorização do território.

Neste contexto, o programa sugere o reforço da visibilidade e atratividade do território, aposta nos recursos endógenos como fator diferenciador, com a criação do Centro de Competências do Queijo, promoção turística de forma integrada e projetos inovadores como o Smart Rural.

No âmbito deste projeto, o município de Penela pretende incubar até ao final do próximo ano 14 empresas com negócios de base rural, numa parceria que envolve o Instituto Pedro Nunes (IPN), de Coimbra.

O Smart Rural pretende captar empresas para o HIESE - Habitat de Inovação Empresarial nos Setores Estratégicos, concluído no final de 2016, contando para isso com uma verba de 348 mil euros, financiada pelo programa Feder em 85% ao abrigo do Programa Operacional do Centro.

O HIESE de Penela, concluído no final do ano passado, representou um investimento de 1,2 milhões de euros para o município, que obteve 85% de financiamento de fundos comunitários, e tem capacidade para incubar 14 empresas.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub