Comissão Nacional de Eleições de Moçambique organiza recenseamento eleitoral piloto

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique anunciou hoje que vai organizar um recenseamento eleitoral piloto este ano, para testar equipamentos e avaliar os técnicos para o processo oficial agendado para 01 de março de 2018.

"Este processo piloto visa, primeiro, avaliar os equipamentos que já temos e que estamos a pensar em voltar a usá-lo para este processo", declarou Abdul Carimo, presidente da CNE.

Abdul Carimo falava após um encontro com jornalistas em Maputo, cujo objetivo foi estudar mecanismos para melhorar a comunicação entre a CNE e a imprensa moçambicana.

O presidente da CNE não avançou a data do recenseamento piloto e nem o seu orçamento, limitando-se a avançar que o processo vai decorrer em "alguns pontos do país".

"Estamos ainda a avaliar e oportunamente vamos nos pronunciar sobre os detalhes do processo", afirmou aquele responsável.

A proposta do custo do processo eleitoral estava orçada em 970 milhões de meticais (mais de 13 milhões de euros), mas a CNE tem disponíveis 750 milhões de meticais (pouco mais de 10 milhões de euros), sendo que o restante será disponibilizado em espécie.

Este valor será disponibilizado para as instalações dos órgãos eleitorais e das comissões distritais, bem como o pagamento dos subsídios dos 990 técnicos integrados no recenseamento oficial.

As quintas eleições autárquicas moçambicanas vão ter lugar a 10 de outubro do próximo ano.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub