Autárquicas: Candidato do PSD a Viseu apresenta uma dezena de compromissos

O candidato do PSD e atual presidente de Câmara de Viseu, Almeida Henriques, assegurou hoje que "quer continuar a fazer bem" pelo concelho e concretizar dez compromissos, encabeçados pela regeneração da Mata do Fontelo.

"Viseu está a fazer bem e quer continuar a fazer bem! As obras emblemáticas não são aquelas que enchem o olho, mas as que fazem a qualidade de vida no dia-a-dia e as oportunidades de desenvolvimento da comunidade", pois "as pessoas estão primeiro", sustentou.

Durante a apresentação da sua recandidatura, que decorreu esta noite na Mata do Fontelo, Almeida Henriques deixou dez compromissos.

"A regeneração da Mata do Fontelo é um compromisso para valer. Salvaguardar este património paisagístico, histórico e ambiental singular (...) é o primeiro compromisso solene que quero assumir hoje", referiu, acrescentando ainda a concretização dos projetos de expansão dos parques empresariais de Mundão e Coimbrões e a criação da Incubadora de Base Cientifica e Tecnológica de Viseu.

O candidato social-democrata apontou que pretende concretizar, caso seja eleito para um segundo mandato, a criação de áreas de reabilitação urbana em freguesias periurbanas e rurais e a criação de espaços de incubação empresarial de base rural.

Também a criação do Centro de Mobilidade de Viseu, que resulta da reconversão da antiga Central de Transportes, figura entre as suas pretensões, assim como a melhoria das acessibilidades nas articulações da cidade (na Estrada Nacional 229) e a resolução de pontos críticos da Circunvalação.

A reconversão e reabilitação do Mercado Municipal, a cobertura e revitalização do Mercado 2 de Maio, a construção de três novos parques de estacionamento no centro histórico e a reabilitação de edifícios-âncora são outras das prioridades.

No pacote de compromissos, estão ainda a reabilitação integral do Bairro da Cadeia, reabilitação e reocupação do antigo edifício da Comissão Vitivinícola do Dão, elaboração da Carta Patrimonial e lançamento da primeira fase do Museu da História da Cidade.

Na sua intervenção, Almeida Henriques fez um balanço muito positivo do seu primeiro mandato, evidenciando que herdou uma boa situação financeira que ainda conseguiu melhorar, com o saldo municipal a crescer de 21 para 32 milhões de euros.

"Viseu está hoje, mais do que nunca, no mapa económico, no mapa turístico, no mapa cultural e no mapa tecnológico do país", acrescentou.

O candidato aproveitou, também, para destacar o "vazio" apresentado pelos seus adversários e para apontar o dedo ao Estado Central, que "continua indiferente, surdo e mudo com o 'país real' e a região".

A apresentação do candidato social-democrata contou com a presença de Luís Marques Mendes, que destacou "a competência [de Almeida Henriques], experiência, capacidade de trabalho invulgar e espírito de serviço público e à sua terra".

"Não veio para Viseu para se afirmar, já estava no plano nacional enquanto secretário de Estado da Economia, que deixou pelo amor à terra", concluiu.

Na 'corrida' autárquica estão também Lúcia Araújo Silva (PS), Paula Amaral (CDS-PP), Filomena Pires (CDU), Fernando Figueiredo (BE) e o independente João Nascimento.

Nas eleições autárquicas de 2013, o PSD foi o partido mais votado em Viseu, conquistando 46,37% dos votos (cinco mandatos). O PS obteve com 26,84% dos votos (três mandatos) e o CDS-PP obteve 9,56% dos votos (um mandato).

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub